O que ver em Toronto

O que ver em Toronto? Dicas de turismo na maior cidade do Canadá

Toronto, maior cidade do Canadá, é aquela metrópole cosmopolita e multicultural, onde pessoas de diferentes culturas convivem aparentemente se respeitando, sem, no entanto, existir uma fusão. É como se cada pessoa que viesse de fora mantivesse a sua cultura, seus costumes, culinária e não se misturasse com canadenses ou outros povos que ali estão. Seriam vários países dentro de uma cidade?

Toda essa mistura cultural faz de Toronto uma cidade diferente; um lugar de todos os povos e de vários idiomas onde temos a oportunidade de dar a volta ao mundo em um só lugar.

Yonge Dundas Square

Letreiros luminosos da Yonge-Dundas Square

Ao programar a sua viagem para a maior cidade do Canadá, considere separar, pelo menos, 4 a 5 dias para ver as suas principais atrações.

Nós passamos 5 dias em Toronto e conseguimos visitar os locais mais turísticos, mas confesso que passaria mais tempo por lá facilmente!

O que ver em Toronto?

São tantas as atrações turísticas, que poderíamos escrever centenas de linhas listando o que Toronto tem a oferecer. Fabrício passou 2 meses por lá durante a primavera e depois voltou comigo durante o inverno e, segundo ele, são duas paisagens bem diferentes. De um lado, o sol se pondo bem tarde, jardins floridos e clima agradável para andar pelas ruas. Do outro, jardins cobertos de neve e um frio de rachar. De qualquer forma, cada estação do ano tem a sua beleza!

Caso você seja do tipo de pessoa que gosta de ficar por dentro da exata localização dos lugares que visita, use e abuse do mapa abaixo para fazer a preparação do seu roteiro de viagem a Toronto:

Veja agora alguns dos principais pontos turísticos da cidade:

Eaton Center e Yonge-Dundas Square

Localizado no centro financeiro de Toronto, o Eaton Center é um grande shopping center. Tanto no centro comercial quanto na região do seu entorno, encontramos produtos com valores “acessíveis” (a acessibilidade dependerá da variação cambial na época da sua viagem). Há produtos com valores mais acessíveis que no Brasil e compramos eletrônicos, sapatos e acessórios pagando preços convidativos por lá.

É importante que você saiba que sobre o valor do produto que você verá na etiqueta, incidirá uma taxa que, na província de Ontário (onde está localizada Toronto), é de 13%.

Eaton Center Toronto

Eaton Center, o grande centro comercial de Toronto

Caso a sua viagem seja durante o inverno, como no nosso caso, o lugar é uma boa pedida, pois o Eaton Center é bem aquecido e conta com um sistema subterrâneo que se conecta ao metrô.

Vale a pena passar pela região durante a noite e ver os seus letreiros luminosos da Yonge-Dundas Square, considerada a “Times Square” de Toronto, e toda a movimentação que rola pelo local.

Prefeitura de Toronto – Toronto City Hall

O moderno prédio da prefeitura de Toronto, chamado de Toronto City Hall, está localizado no centro financeiro da metrópole (bem próximo ao Eaton Center).

O arranha-céu fica na frente da Nathan Phillips Square, uma praça famosa da cidade, onde acontecem as celebrações de ano novo no dia 31 de dezembro. Durante o inverno, há uma pista de patinação no gelo na praça.

Toronto City Hall

Nathan Phillips Square e a prefeitura de Toronto

O edifício da prefeitura de Toronto foi construído na década de 60, substituindo o prédio da antiga prefeitura da cidade (Old City Hall) uma construção do século XIX que, na nossa opinião, é bem mais bonito.

Toronto Old City Hall

A torre do relógio é o prédio da antiga prefeitura de Toronto

Bem perto da prefeitura está o Osgoode Hall, um edifício centenário, que foi construído para abrigar a Escola de Direito e o corpo de advogados da província de Ontário e que resistiu a mais de dez restaurações ao longo do tempo. Atualmente o prédio abriga o Tribunal de Apelação de Ontário, o Tribunal Divisional do Superior Tribunal de Justiça e os escritórios da Law Society of Ontario e a Great Law Library. É possível conhecer o interior do edifício e fazer visitas guiadas durante o verão.

CN Tower e Ripley’s Aquarium of Canada

Considerado um dos maiores cartões postais do Canadá, sem dúvida a CN Tower é uma atração mais que imperdível para quem visita Toronto. Considerada a terceira maior torre do mundo, é impossível passear por Toronto e não vê-la compor cenário com os seus 457 metros de altura.

Vale muito a pena subir na torre para poder ter uma vista panorâmica da cidade, pois só assim podemos ter uma noção da magnitude dessa grande metrópole, com uma infinidade de construções de um lado e o enorme Lago Ontário do outro.

Suba os dois níveis do observatório, para ter a vista de 360 graus da cidade, e, se a coragem deixar, aproveite para caminhar sobre o chão de vidro. É super legal!

Cn Tower

No alto da CN Tower

Para subir ao ponto mais alto, chamado SkyPod, é necessário pagar um valor extra. O acesso a esta área custa $12, mas os portadores do Toronto CityPASS (foi o nosso caso) têm um desconto de 50%, ou seja, apenas $ 6 para se ter acesso ao SkyPod.

A CN Tower está aberta para visitação 364 dias por ano, das 9h às 22h30 (não abre somente no dia 25 de dezembro).

Grudadinho na torre está o Ripley’s Aquarium of Canada, um aquário público gigante, que apresenta várias exposições aquáticas, contendo milhares de amostras exóticas de centenas de espécies do mar e da água doce.

Dentre suas exibições, a que mais achamos interessante é o túnel de vidro por onde as pessoas passam enquanto os tubarões nadam ao redor.

O local mostra a importância da vida aquática e a sua preservação, e recomendamos principalmente para aqueles que viajam com crianças.

Chinatown e Bairro Português (Little Portugal)

Conhecer a Chinatown é a possibilidade de ver uma face diferente de Toronto, que traz o outro lado do mundo para o Canadá. Esse bairro asiático possui uma infinidade de lojas e restaurantes não só de origem chinesa mas também vietnamita, tailandesa, dentre outras culturas asiáticas.

A imigração é algo tão forte no país que, segundo projeções do relatório de Imigração e Diversidade, se os níveis atuais de imigração continuarem, até 2036, metade da população do país poderá ser de imigrantes.  O detalhe é que mais da metade dos imigrantes seria de origem asiática.

Chinatown Toronto

A historia da Chinatown remonta do século XIX, quando, devido à depressão econômica e conflitos raciais, houve um grande fluxo de chineses americanos da Califórnia para o Canadá. A atual Chinatown de Toronto está localizada entre a Spadina Avenue e Dundas streets.

Toronto é uma cidade que respira muita arte urbana. Próximo à Chinatown na Queen Street, observe o edifício da CTV e veja o carro que literalmente sai de dentro da parede do prédio.

CTV Toronto

Um pouco mais adiante, os grafiteiros de plantão poderão se distrair com as pinturas das paredes da Graffiti Alley, uma rua cheia de grafites (Rush Lane) que é paralela à Queen Street. Eu estava super animada pra conhecer o local, esperando ver algo como o Beco do Batman, em São Paulo, mas encontrei uma rua deserta e com um ar de abandonada. De qualquer forma, se grafite é a sua praia, vale a pena dar uma passadinha por lá .

Na região de Dundas, estão localizadas as comunidades de brasileiros e portugueses. Nessa área, alem de ouvir o nosso conhecido português, com dois sotaques, encontraremos locais para comer churrasco, feijoada, bacalhau, pastéis de nata e muito mais. O que mais chamou a minha atenção foram as fachadas dos empreendimentos escritas em português. Parecia até que eu estava andando em alguma rua do Brasil.

Dundas Toronto

Algo familiar?

Além do Chinatown e do Little Portugal, há outras comunidades de estrangeiros, como Little Italy, que é o bairro italiano, Greektown, que abriga a comunidade grega, Koreatown, com a sua comunidade de coreanos e Little India, que é o bairro indiano.

Royal Ontario Museum, Casa Loma e Ontario Science Centre

#Royal Ontario Museum – ROM

Um dos principais museus de história natural e culturas do mundo, o Royal Ontario Museum – ROM é, sem sombra de dúvidas, um ponto de parada obrigatório para aqueles que gostam de visitar museus pelo mundo. Conhecer esse museu é viajar pela história da ciência e das civilizações, aprender como o planeta terra e suas culturas evoluíram e como as mudanças que enfrentamos na atualidade moldarão o nosso futuro.

Seu riquíssimo acervo engloba arte europeia, asiática, africana e até aborígene, além de antiguidades, ciência, arqueologia e paleontologia. Como o ROM é enorme, recomendamos que separe, ao menos, um turno para visitá-lo.

Royal Ontario Museum

#Casa Loma

A Casa Loma é uma mansão no estilo europeu construída no início do século XX e que foi residência de um financista canadense, sendo considerada, por alguns anos, a maior residência da América do Norte.

Por conta do alto custo para manter a casa e as dificuldades financeiras em decorrência da Grande Depressão, o seu proprietário teve todos os seus bens confiscados, inclusive a casa. A Casa Loma já foi hotel de luxo, um clube noturno e esteve, inclusive, prestes a ser demolida. Desde 1937, o local é uma atração turística, tendo sido revitalizada ao longo dos anos.

A Casa Loma é uma das atrações mais visitadas de Toronto, onde as pessoas têm a oportunidade de apreciar sua arquitetura e decoração clássica, que se mantêm ao longo dos anos.

Casa Loma

#Ontario Science Centre

O Ontario Science Centre é um museu que envolve experiências interativas com ciência e tecnologia e, ao contrário do museu tradicional, onde as exposições são visuais, nele o visitante participa de experiências e demonstrações ao vivo.

O museu oferece experiências científicas para que o visitante possa interagir, participar de experimentos, deixando de ser apenas um mero observador.

St. Lawrence Market

O St. Lawrence Market foi um dos locais que com certeza eu retornaria em uma volta a Toronto. Com mais de 200 anos de história, esse mercadão maravilhoso tem uma grande variedade de frutas, legumes, carnes, peixes, grãos, laticínios, além de produtos não alimentícios. O St. Lawrence Market é mais ou menos o Mercado Municipal de São Paulo, só que em Toronto.

Como adoro conhecer mercados e feiras mundo afora, ir a esse mercado foi um programa e tanto. Além de termos a oportunidade de ver de perto produtos locais, aproveitamos para fazer uma refeição por lá. Almoçamos uma massa que, por sinal, estava muito gostosa e tinha um preço super justo!

Se você curte gastronomia, pode ter certeza que esse é um local que não pode ficar de fora do roteiro!

St Lawrence Market

Um paraíso para quem adora cozinhar!

Caso o St Lawrence Market faça parte do seu itinerário, não deixe de passar pela bifurcação entre a Front St e a Wellington St para ver o Gooderham Building (também chamado de Flatiron Building), um edifício histórico de tijolos vermelhos que chama bem a atenção não só pela sua arquitetura como também pela sua localização.

Ao ver o prédio, continue andando até seu outro extremo, no Berczy Park, e veja o mural pintado na sua parede de trás.

Gooderham Building

O que mais tem para ver em Toronto?

Muita coisa! Se você for pesquisar o que ver em Toronto, com certeza achará uma lista quase sem fim de lugares para se visitar. Só para exemplificar, quando eu estava preparando o meu roteiro de viagem pra lá, encontrei até uma árvore como atração turística (chamada de Hug Me Tree, que seria uma árvore para ser abraçada). Como era bem próxima da Graffiti Alley, aproveitamos para passar por ela.

Dentre os locais que Fabrício visitou durante a primavera e nós visitamos juntos durante o inverno, poderia citar o lindo Ontario Legislative Building, que é o edifício que abriga a Assembleia Legislativa de Ontário; o High Park, um dos maiores e mais movimentados parques da cidade; o Zoológico de Toronto – Toronto Zoo – a parte da cidade onde ficam as praias, chamada de The Beaches, um bairro que contém praias à beira do Lago Ontário e as ilhas de Toronto, chamadas de Toronto Islands.

Toronto é uma metrópole segura e super organizada, que tem muito a oferecer aos seus visitantes. Toda essa lista acima de lugares para visitar na cidade cabe, com muita organização, em um roteiro de 5 dias. Se tiver menos tempo na cidade, e não faz ideia do que não poderia ficar de fora, recomendaria que você não deixasse de subir na CN Tower e de visitar o ROM.

Veja todas as nossas dicas do Canadá e comece a planejar a sua viagem

Dicas para planejar a viagem ao Canadá:
Dicas de turismo nas cidades canadenses:

MONTREAL:

QUEBEC CITY:

OTTAWA:

TORONTO:

NIAGARA FALLS:

Como viajar entre o Canadá e os Estados Unidos:

*Agradecemos ao Destination Canada pelo suporte dado durante a nossa estadia no Canadá! 

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em mais de 20 países – evite filas e ganhe descontos!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

12 Comentários

  1. Lygia Lopes

    Gabriela, bom dia.

    Não sei se pode me ajudar, mas agradeceria muito se me desse uma luz.
    No final de Setembro/começo de Outubro vou para o Canadá. Passarei por Montreal, Ottawa e Quebec City (10 dias no total). Já estou com passagens compradas e pagas, hotéis reservados e pagos, e passagem de trens compradas e pagas também. Mas não consigo encontrar nada que me deixe segura em relação a quanto dinheiro levar para o dia a dia (refeições, cafezinhos, transportes e ingressos).
    Pela sua experiência, $130/dia seria o suficiente?

    Outra coisinha.. se eu precisasse somente de internet no celular (sem ligações), você acha que as cidades tem wi-fi livre suficiente para que eu não precise contratar um serviço a parte?

    Muito obrigada!
    Adoro seus posts.. me dá vontade de viajar o tempo todo.. rsrs

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *