Montreal

O que ver em Montreal: dicas para planejar a sua viagem

Maior cidade da província de Quebec e segunda maior do Canadá, Montreal tem uma das maiores populações  francófonas do mundo, ficando atrás apenas de Paris.

Embora exista um grande contigente populacional falante da língua francesa, há muitas pessoas que falam inglês também, além de outras de diversas partes do mundo que falam tantos outros idiomas. Cercada pelo Rio São Lourenço, Montreal é uma ilha – Île de Montréal -, que mistura edifícios modernos com construções antigas, praças, parques e diversas estátuas.

O que ver em Montreal

É uma cidade para se passar pelo menos 3 dias e que pode ser visitada em qualquer época, inclusive durante o rigoroso inverno canadense, pois é em Montreal onde fica o maior complexo subterrâneo do mundo!

⚠️Atenção: estivemos em Montreal justamente na semana do Natal (23 a 26 de dezembro) e não conseguimos visitar algumas atrações por conta do feriado. Além dos horários limitados no dia 24/12 e do feriado no dia 25/12, o dia 26 de dezembro é chamado de Boxing Day, uma espécie de feriado, quando muitos canadenses aproveitam as promoções das lojas e vão às compras. Caso a sua viagem seja na mesma época, considere colocar um dia a mais na programação.

Para você aproveitar bem a sua estadia no destino, listamos abaixo as principais atrações turísticas de Montreal para você incluir no roteiro em qualquer época do ano.

Vieux-Montréal

Essa área conhecida como Velha Montreal ou Old Montreal é o centro histórico da cidade, com ruas estreitas, prédios históricos – alguns datados do século XVII, sendo considerada uma das áreas urbanas mais antigas da América do Norte.

É aquele lugar que não pode ser deixado de lado pelo turista que vai a Montreal pela primeira vez, pois é lá onde se encontram alguns dos seus principais pontos turísticos.

A Place d’Armes é um deles. Datada de 1836, essa praça histórica foi palco de diversos eventos militares no passado e hoje é apenas um local muito visitado pelas pessoas que vão à cidade. No seu centro, está a estátua de Paul de Chomedey, um militar francês que fundou Montreal na época em que essa parte do Canadá era colônia, chamada de “Nova França”.

Old Montreal

A Place d’Armes coberta de neve!

De frente para a Place d’Armes está uma das igrejas mais bonitas que visitei no Canadá, a Basilique Notre-Dame de Montréal, um lugar imperdível para quem adora visitar igrejas mundo afora!

⚠️Atenção: Muitos turistas que vão a Paris fazem uma visita à famosíssima Catedral de Notre Dame e alguns acabam achando que o nome “Notre Dame” se refere apenas à de Paris. O que muitos não sabem é que Notre Dame significa “Nossa Senhora” e que em países francófono há diversas igrejas com o nome Notre Dame – no Canadá há várias.

Construída entre 1824 e 1829, a Basílica de Notre Dame de Montreal é muito bonita por fora e impressionante por dentro. O colorido do piso da nave central, nas cores azul e amarelo, dão vida ao ambiente sombrio típico das igrejas góticas e o altar é de uma beleza singular!

Basílica de Notre Dame de Montreal por fora e por dentro

A entrada na basílica é paga e os horários de visitação variam de acordo com o mês do ano. No primeiro dia que passamos pela sua frente a basílica estava fechada e só pudemos visitá-la no dia seguinte.

Andar pela velha Montreal é sentir a Europa nas Américas; é ver os resquícios da época colonial na Nova França através das fachadas dos edifícios e da pavimentação das ruas.

Uma das ruas mais antigas e mais importantes de Vieux-Montréal é a Rue Saint-Paul, que homenageia o fundador de Montreal, Paul de Chomedey. No local você verá várias lojinhas, cafés e bares.

vieux montreal

A Rue Saint-Paul Ouest sem movimento na noite do Natal

💡Dica para quem gosta de decoração de Natal: na Rue Notre-Dame Ouest há uma loja lindíssima de artigos natalinos que está aberta durante todo o ano chamada Noël Eternel. Foi a loja do gênero mais bonita que já visitamos!

Descendo em direção ao Rio São Lourenço (Saint Lawrence River), chegaremos ao Vieux-Port de Montréal, o porto antigo da cidade utilizado no século XVII como um posto de troca entre comerciantes de pele franceses. Hoje em dia, o local é uma área histórica e recreativa muito visitada.

Capela da Notre-Dame-de-Bon-Secours voltada para o lado do porto antigo de Montreal

No porto antigo, além dos edifícios antigos construídos no estilo europeu, você verá também a torre do relógio – Tour de l’Horloge – que é um memorial aos marinheiros canadenses que morreram na Primeira Guerra Mundial. Uma opção durante o inverno é se aventurar na pista de patinação, que fica montada de dezembro a março.

Vieux-Port de Montreal

No sentido horário: edifícios da Rue de la Commune; a pista de patinação; a Torre do Relógio vista de longe

Centre-Ville de Montreal

Também chamado de Downtown Montreal, é o centro financeiro, repleto de lojas, restaurantes e modernos arranha-céus que, por lei, não podem ser mais altos que o Mont Royal, com a finalidade de preservar o predomínio estético da cidade.

Centre Ville Montreal

Uma das avenidas com edifícios modernos em Montreal

Uma das ruas mais movimentadas do Canadá encontra-se justamente no centro de Montreal: a Rue Sainte-Catherine, uma das principais vias da cidade e que inevitavelmente é ponto de passagem de todos que visitam Montreal.

Lojas, restaurantes, bares e casas noturnas estão presentes nessa rua que corta a cidade de leste a oeste. É um prato cheio para quem gosta de compras!

A movimentadíssima Rue Saint-Catharine

E para quem não quer enfrentar o frio do inverno ou precisa fugir da chuva, uma boa pedida é o Subterrâneo de Montreal, composto por mais de 30km de túneis – o maior complexo subterrâneo do mundo. É um espécie de shopping center underground, onde você encontra lojas, mercados e restaurantes, mas também se conecta a bancos, escritórios, museus, hotéis e estações de metrô. Com mais de 100 saídas para as ruas da cidade, o subterrâneo é de fácil acesso e não incomoda nem os claustrofóbicos 😉

Para aqueles que curtem visitar igrejas, vale a pena passar para conhecer a Christ Church Cathedral, uma igreja anglicana localizada na Sainte-Catherine West. Tanto a fachada quanto o interior são muito interessantes e diferentes das igrejas católicas romanas; lembra bastante aqueles prédios de arquitetura medieval que vemos em filmes.

A Christ Church Cathedral por fora e por dentro

Um detalhe que achei superinteressante foi uma bandeira gay que vimos dentro dessa igreja com uma placa que dava boas vindas aos gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Foi a primeira vez que vi uma instituição religiosa aceitar abertamente as minorias, que com certeza merecem respeito como qualquer outro ser humano.

No Centre-Ville, há mais uma igreja MUITO bonita e que também vale muito a visita: a Basilique-Cathédrale Marie-Reine-du-Monde, a sede da arquidiocese de Montreal. O que nos chamou a atenção nesta igreja especificamente foram algumas semelhanças com o Vaticano.

A Catedral Marie-Reine-du-Monde é LINDA!!

Enquanto no Vaticano há estátuas dos 12 apóstolos, nesta basílica há estátuas dos santos padroeiros das 13 paróquias de Montreal, sendo alguns deles apóstolos também. Do lado de dentro, o cibório assemelha-se muito com o Baldacchino di San Pietro que está dentro do Vaticano.

Diferentemente da Basílica de Notre-Dame, tanto a Christ Church Cathedral quanto a Basilique-Cathédrale Marie-Reine-du-Monde são gratuitas para visitação.

Arredores do Mont Royal

O Mont Royal, como o próprio nome já diz, é um monte de Montreal (aquele que não pode ter a altura ultrapassada pelos prédios), localizado dentro do parque que leva o mesmo nome. Coberto de neve pelo inverno, nos limitamos a ver o monte pelos seus arredores, cheios de paisagens interessantes para se apreciar.

Vimos umas construções bonitas aos pés do monte e resolvemos ver o que era. Descobrimos que os edifícios eram da  Universidade McGill, um instituição antiga (de 1821), considerada uma das melhores do mundo.

Universidade McGill Montreal

Um encanto essa paisagem!

Predios da Universidade de Montreal

As construções antigas e o esquilo andando pela neve

A arquitetura dos edifícios, o chão coberto de neve e os esquilos passeando davam uma charme ao local.

A leste do Mont Royal encontra-se o charmoso bairro Le Plateau-Mont-Royal, também chamado de “Le Plateau”. Esse bairro tem como diferencial não só a arquitetura como também as cores das casas que trazem uma alegria a quem passa.

Embora fosse inverno e as ruas de Montreal estivessem relativamente vazias, deu para sentir que o Le Plateau é diferente do restante da cidade. Suas lojas, cafés e restaurantes aliados à paisagem urbana formavam um ambiente extremamente convidativo.

Plateau Mont Royal

Arquitetura de algumas casas no Plateau Mont Royal

Eglise Saint Enfant du Mile End

A igreja Saint-Enfant-Jésus du Mile-End

Aquele dia de céu limpo, com as árvores secas e a neve no chão, foi o mais bonito da nossa passagem por Montreal, dando um insight do que deve ser esse local na primavera/verão. Imagino que o Le Plateau deva ser animado nos dias mais quentes!

Montreal Plateau Mont Royal

Casinhas do Plateau Mont Royal e a cor do céu no final da tarde

Também na subida do Mont Royal está localizado o Oratoire Saint-Joseph du Mont-Royal, o maior santuário do mundo dedicado a São José. Fundado em 1904, é um lugar de peregrinação e uma das grandes atrações turísticas de Montreal.

 A imponência da construção com a vista que temos do alto santuário fazem valer a visita. Só prepare as pernas, pois as escadarias até chegar lá são longas. Já no interior do edifício, há elevador e escada rolante.

Oratorio saint joseph

Chegando ao Oratório de São José

Vista do Oratorio Saint Joseph

A vista da que se tem da entrada principal

Parc Jean-Drapeau

Localizado na ilha de Santa Helena (Île Sainte-Hélène) e na ilha artificial Notre Dame (Île Notre-Dame), o nome do parque é uma homenagem a Jean-Drapeau, prefeito de Montreal durante a Exposição Mundial de 1967 – Expo 67, que teve como palco justamente esse parque.

No local, há museus, locais para práticas de esportes, casamentos, cassino, parque de diversão e até mesmo a pista do circuito do GP de Formula 1 de Montreal.

Dentre os museus, destaca-se a Biosphère, dedicado ao meio ambiente e que tem como grande chamariz a sua arquitetura no formato de uma cúpula geodésica transparente e que pode ser vista, inclusive, da ilha de Montreal.

Parc Jean Drapeau

Passear pelo parque é uma boa oportunidade ver lindas paisagens verdes ou brancas, se for no inverno, e de ver o Rio São Lourenço correr com a grande ilha de Montreal do outro lado.

Parc Jean Drapeau em Montreal

Tem verde e branco!

Rio São Lourenço Montreal

O Rio São Lourenço e a ilha de Montreal ao fundo

No inverno, há diversas atividades próprias para essa estação do ano, destacando-se o Festival das Neves (Fête dês nieges), que acontece nos finais de semana dos meses de janeiro e fevereiro.

Estátuas de Montreal

Uma coisa que não sabíamos e que descobrimos andando pelas ruas de Montreal é que há diversas estátuas por lá. Se você também curte ver essas obras de arte no cenário urbano, pode se preparar para a diversão!

Gostamos de tirar fotos de esculturas durante as viagens pelo mundo e, assim como em Bratislava e em Singapura, fizemos bastantes cliques em Montreal.

Veja algumas delas:

Estátuas de Montreal

No sentido horário: as três moças conversando (Les Chuchoteuses) estão na 74 Rue Saint-Dizier esquina com Rue Saint Paul Ouest; o estudante com o laptop na Sherbrooke & McGill College e Marguerite Bourgeoys guiando duas crianças na Place Marguerite-Bourgeoys

Estátuas de Montreal

Na esquerda, a estátua de James McGill, no campus da Universidade McGill; os dois homens estão na Jeanne-Mance & Sainte-Catherine Ouest e o casal sentado no banco está na Avenue McGill College

Assista aos nossos melhores momentos da viagem pelo Canadá:

Leia outros posts sobre o Canadá:

*Agradecemos ao Destination Canada pelo suporte dado durante a nossa estadia no Canadá! 

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em mais de 20 países – evite filas e ganhe descontos!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

24 Comentários

  1. Waldelania

    Irei para Montreal em dezembro e tenho uma curiosidade. Tem muitos gatos na cidade? Pergunto porque tenho fobia de gato.

  2. Lillian Possobom

    Adorei seu blog!
    Ótimas dicas!
    Parabéns!
    Vou para Montreal e Toronto.
    Penso em ficar 3 dias em Montreal e 4 em Toronto, será que sao suficientes para uma primeira visita?
    Vc tem dicas gastronômicas para essas duas cidades?
    bjs

    • Olá, Lilian! Tudo bem?
      Sim, esse tempo que você tem para Toronto e Montreal são suficientes, mas é uma viagem bem corrida.
      Durante a estadia no Canadá foram poucas oportunidades em que experimentamos comidas que valessem a recomendação. O Poutine (batatas fritas com molho e queijo) é o prato típico do país, mas confesso que não foi muito do meu agrado. De qualquer forma, vale a pena experimentar.
      Não me recordo agora de alguma comida muito boa que tenha experimentado em Montreal, mas em Toronto eu fiz duas refeições simples que gostei:comida oriental no HoSu Bistro e um ravioli que comemos no Pizza & Pasta, dentro do Mercado de St. Lawrence.
      Beijos

  3. Muito legal, Gabi! Cada vez mais me apaixono pelo Canada!
    Post muito bem escrito e informações super válidas! 😉

  4. Ótimo post! Volto aqui pra pegar as dicas quando estiver preparando o roteiro da minha viagem pra lá!!! (espero que ainda esse ano!)

  5. Que lindo! Adoro ver as cidades assim, cobertas de neve! Gostei de ver os esquilos na neve, já vi muitos aqui por Victoria, acho que devem andar um pouco por todo o Canadá 🙂 Montreal parece ser uma cidade bem bonita!

  6. Gabriel Altoé

    Estou amando o blog de vcs… muito bem descritivo e com os roteiros super completos… apaixonada pelo Canadá e já doida pra me aventurar por lá!!

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »