Letreiros de Hong Kong

Dicas úteis sobre Hong Kong

Hong Kong é uma região administrativa especial da República Popular da China, que possui uma grande autonomia política e econômica (com exceção a questões relacionadas à defesa e política externa), sendo por isso considerada uma cidade-Estado.

Aí vem a pergunta: Hong Kong é China?

É e não é!!

Não somos experts no assunto, mas aprendemos algumas diferenças entre os chineses da China e os “chineses” de Hong Kong e como as coisas funcionam em um e em outro lugar:

– Brasileiros não precisam de visto para entrar em Hong Kong, mas precisam para entrar na China;

– Os cidadãos de Hong Kong têm passaportes diferentes dos cidadãos chineses, afinal eles são honcongueses;

– Enquanto na China a moeda é o Yuan, em Hong Kong se usa o dólar de Hong Kong (HK$).

– Em Hong Kong se fala predominantemente cantonês (apesar do inglês também ser idioma oficial, pois o país é ex-colônia britânica), já na China, além dos dialetos, o idioma oficial é o mandarim;

– A China é uma república socialista, enquanto Hong Kong transpira o capitalismo em sua forma mais selvagem.

Não é à toa que Hong Kong é um dos quatro países que formam os Tigres Asiáticos, juntamente com Cingapura, Coreia do Sul e Taiwan. Esses países receberam essa denominação pelo fato de terem economias extremamente desenvolvidas, resultado de uma rápido crescimento e industrialização entre as décadas de 60 e 90. E Hong Kong continua com tudo, sendo um dos maiores centros financeiros do mundo.

Soube ainda, por nossos amigos que moram em Hong Kong, que o pessoal de lá não gosta muito de ser comparado com o chinês e que existe aquela “birra” entre os dois povos. Nossos amigos nos contaram também que tanto os honcongueses quanto os chineses falam mal até dos aspectos físicos de um e de outro!

Devido a tantas diferenças, muitos sites de viagens entendem que Hong Kong é um país e a China é outro, e nós concordamos com isso!!!

Apesar do “país” ser composto por mais de 200 ilhas, pela península de Kowloon e pelos novos territórios, o circuito turístico é dividido basicamente entre 2 ilhas (Lantau e Hong Kong Island) e Kowloon.

Por questões didáticas, vamos numerar essas três regiões:

Mapa turistico de Hong Kong

O roteiro turístico mais usual é feito nessas regiões marcadas: 1-Hong Kong Island | 2-Kowloon | 3-Lantau Island

A menos que o turista passe mais de 5 dias em Hong Kong, o roteiro básico se concentra nesses três pontos marcados com as setas, sendo que a seta número 2 se restringe mais ou menos ao local circulado no mapa.

Está achando que é pouco??? Em 5 dias na cidade a gente teve que correr para conhecer o que estava programado e mesmo assim não conseguimos fazer tudo!

#1 Hong Kong Island

Essa ilha localizada na parte de sul de Hong Kong é a mais povoada e a mais cara da cidade. Não somos ricos, mas nos hospedamos em 3 hotéis diferentes por lá pela facilidade de locomoção e porque achamos essa ilha bem legal, pela sua paisagem cosmopolita de uma cultura fervilhante!

Como a ilha é ENORME, lógico que não dá para conhecê-la toda a pé e nem mesmo de metrô. É que o centro de Hong Kong Island é uma imensa área verde e as construções se estendem basicamente ao redor dela. Quem quiser visitar o sul de Hong Kong Island, por exemplo, precisa pegar um táxi ou um ônibus para chegar lá.

Vista do The Peak

Vista da cidade de cima do Pico Vitória, uma das grandes atrações que está localizada em Hong Kong Island

Como os nossos hotéis ficavam meio que no centro da ilha, caminhamos bastante entre as regiões de Wan Chai, Admiralty e Causeway Bay, que foi a área que mais gostamos de passear.

A linha de metrô que cobre essa ilha é a Island Line, que no mapa do metrô é de cor azul escura, fazendo conexão ainda com a Tsuen Wan Line (linha vermelha), Tseung Kwan Line (linha lilás), Tung Chung Line (linha amarela) e Airport Express (linha verde escura). Ou seja, é bem fácil ir de Hong Island a Lantau, Kowloon e até ao aeroporto.

#2 Kowloon

Localizada ao norte da Ilha de Hong Kong e ao sul da parte continental dos Novos Territórios, a península de Kowloon é uma parte mais chinesa de Hong Kong, aquele local onde é possível ver construções mais tradicionais e uma atmosfera mais oriental do que em Hong Kong Island. Entretanto, a costa da ilha de frente para o Victoria Harbour ainda mantém a mesma paisagem da ilha da frente. Dentre os modernos arranha-céus, destaca-se o famoso ICC – International Commerce Centre, que é o edifício mais alto de Hong Kong e o quarto mais alto do mundo.

É também de Kowloon que se tem uma vista noturna espetacular dos edifícios iluminados de Hong Kong Island, onde todas as noites turistas se aglomeram para assistir ao show de luzes.

Barco chinês no Victoria Harbour

Típico barco chinês navegando pelo Victoria Harbour

Mas à medida que vamos nos afastamos da orla em Kowloon, a modernidade se mistura com construções que não sabem o que significa a palavra reforma, de tão velhas que são. Mas isso é ruim? Lógico que não! Foi em Kowloon onde nos sentimos mais na China que a gente sempre imaginou, onde, além da arquitetura, conseguimos conhecer uma outra face de Hong Kong.

#3 Lantau Island 

A terceira e última região que visitamos em Hong Kong está um pouco mais afastada das outras duas, mas também é aquele local de visita obrigatória para o turista de primeira viagem. É que é em Lantau que está a estátua do Big Buddha, uma das atrações mais visitadas na cidade.

Para quem gosta de parques, uma outra opção de diversão nessa ilha é Hong Kong Disneyland Park, que é simplesmente um dos parques da Disney espalhados pelo mundo.

Big Buddha em Lantau

O Grande Buddha, a maior estátua de Buda sentado construída a céu aberto

A única linha de metrô que chega até a ilha de Lantau é a Tsung Chung Line (a linha amarela), que passa tanto por Hong Kong Island quanto por Kowloon.

Qual é a forma mais prática de se locomover em Hong Kong? 

O sistema de transporte público do país é muito eficiente e andamos tanto de metrô (MTR) quanto de ônibus. Para ir aos locais não servidos de linhas de metrô, a única forma econômica de se locomover é de ônibus. Já nos locais mais turísticos, o metrô acaba sendo mais prático porque é mais rápido e podemos comprar os tickets nas máquinas, usando moedas ou cédulas. Já para pegar o ônibus precisamos ter em mãos dinheiro trocado e em moedas.

Todas as máquinas que vendem passes de metrô têm informações em inglês e são muito fáceis de usar. Basta selecionar o destino desejado e a máquina informará o valor da passagem (não existe um valor único para a passagem, que varia de acordo com a distância de onde a pessoa esteja). A própria máquina recebe o dinheiro, imprime a passagem e dá o troco. Mas lembre de ter sempre um mapinha das estações em mãos, já que mesmo em nosso alfabeto, os nomes de algumas estações são bem chineses rss

A passagem é um cartãozinho que deve ser inserido na máquina na entrada da estação e você deve guardá-lo em um local seguro para usá-lo na saída da estação final. Você não conseguirá sair da estação sem esse cartão e provavelmente pagará uma multinha se perdê-lo.

Veja aqui o mapa com a nossa numeração das três regiões listadas:

Mapa do Metro de Hong Kong

Mapinha do metrô

Para saber onde fica a estação de metrô mais próxima é necessário procurar um símbolo branco dentro de um círculo vermelho igual a esse da foto abaixo:

Símbolo do metrô de Hong Kong

Achou esse símbolo, pode entrar que é uma estação de metrô

Há também a opção de fazer o trajeto de barco entre as ilhas, mas não testamos esse meio de transporte e por isso não podemos falar da praticidade em se locomover por embarcação.

Plug de tomada em Hong Kong

O país foi colônia britânica e os plugs de tomada são do tipo J; os mesmos do Reino Unido (3 retângulos que foram o desenho do triângulo).

Recomendo que compre um adaptador do modelo da foto abaixo ou um adaptador universal. Como temos muitos eletrônicos, optamos por comprar um específico.

Plug de Tomada em Hong Kong

Nosso adaptador comprado em Hong Kong

Hospedagem em Hong Kong

Ficamos hospedados em três hotéis durante nossas duas viagens a Hong Kong, todos situados em Hong Kong Island, a parte da cidade que mais gostamos. Vamos listar abaixo os hotéis na nossa ordem de preferência:

Ibis Hong Kong Central: excelente custo benefício, com tarifas razoáveis para o país e ótimo atendimento. Apesar do quarto não ser muito amplo, estava muito limpo e tínhamos a vista para o Victoria Harbour. O café da manhã foi acima do padrão dos hotéis ibis e wifi gratuito para os hóspedes em todas as áreas do hotel. Há ônibus gratuitos para quem chega pelo aeroporto e que fazem a ligação da estação de metrô central até o hotel. Recomendamos!

Novotel Century Hong Kong: hotel de alto padrão, com quartos confortáveis, wifi em todos os ambientes e café da manhã de excelente qualidade. Boa localização.

Ibis North Point: a localização é boa, mas as instalações são aquém do alto valor cobrado para um hotel como o ibis. Também dispõe de wifi gratuito em todas as áreas. Não experimentamos o café da manhã.

Compras em Hong Kong

Muita gente tem aquela imagem que Hong Kong é um paraíso para compras. É verdade que lojas não faltam, mas os preços das coisas não chegam a ser assustadores mais baixos como os praticados nos Estados Unidos.

Sai mais barato comprar roupas, acessórios e eletrônicos em Hong Kong? Sim, sai, mas não achei nada do outro mundo que justificasse trocar os meus passeios culturais por lojas.

A única coisa cara que realmente queríamos comprar e que de fato precisávamos, eram novos celulares. Após passarmos quase 4 anos com o mesmo modelo de iPhone, decidimos comprar o modelo que havia sido lançado 3 meses antes da nossa ida a Hong Kong. Vimos que havia várias lojas da Apple pela cidade mas jamais imaginávamos que fosse praticamente impossível sair de uma delas com o novo aparelho.

Fomos a várias lojas e nenhuma delas vende o iPhone na hora. As pessoas só conseguem fazer a compra se cadastrarem seus números (tem que ter um chip de Hong Kong) e forem sorteadas por SMS para ir até a loja e comprar. É algo muito louco que até hoje não consegui entender. Por outro lado, na frente da loja da Apple há várias pessoas vendendo os iPhones na maior cara de pau!

Loja da apple em Hong Kong

Esses caras estão vendendo iPhones na frente da loja da Apple!

Depois de ter insistido no primeiro dia, decidimos ir a uma loja de eletrônico em Kowloon para comprar o bendito aparelho. Nem preciso dizer que pagamos mais caro, mas mesmo assim pagamos bem mais barato que no Brasil.

Se a sua ideia também é comprar o iPhone que é lançamento, pense duas vezes antes de sair de loja em loja e perder muito tempo com algo que provavelmente não conseguirá com a nota fiscal da marca.

Uma boa notícia é que, caso compre em uma loja de eletrônicos qualquer, você tem como saber se o aparelho é original na hora que está comprando. Basta pedir para abrir a caixa, ligar o telefone e colocar seu ID e senha do iCloud que todas as informações aparecerão pra você. Recomendamos apenas que coloque o seu chip do Brasil para ter certeza de que o aparelho é desbloqueado e tente ver na caixa se seu iPhone não é japonês, pois os aparelhos japoneses não permitem que se tire foto sem que se faça o barulho da câmera.

————————————————————————————————————————————————————–

Essas dicas sobre a geografia de Hong Kong, as regiões mais procuradas para o turismo e como se locomover na cidade são apenas o ponto inicial para a sua viagem ao país.

Gostou dessas dicas úteis sobre Hong Kong?

Leia também os outros posts sobre Hong Kong:

➡️Como ir do aeroporto de Hong Kong ao centro

➡️Hong Kong Island: a principal ilha de Hong Kong

➡️Hong Kong: a ilha de Lantau e o Grande Buda

➡️ Hong Kong: passeio turístico por Kowloon

➡️ Como viajar entre Hong Kong e Macau

➡️ Air Asia: a low cost mais famosa da Ásia

➡️ Dicas de hotéis em Hong Kong

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em diversos países – evite filas!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

23 Comentários

  1. Ana

    Olá só passei mesmo para agradecer as dicas. Estou indo em alguns dias.

  2. Fernanda

    Oi Thais,

    Eu tenho 15 horas em Hong Kong. Meu voo chega em um domingo às 6AM e vou para a Tailandia às 21:15h do mesmo dia. Quais são as atrações imperdíveis que eu consigo fazer em poucas horas?

    Queria saber também qual é o horário do show de luzes.

    Obrigada

    • Olá! Eu indico uma visita ao Hong Kong Island para visitar The Peak e andar pelas ruas próximas da Times Square. Vale a pena também ir para Kowloon para ver a Avenida das Estrelas. É lá que passa o show de luzes, às 20, e acho que será impossível de você assistir por causa do horário de seu voo para Tailândia. Mas não se preocupe quanto a isso. Não escrevemos ainda sobre Kowloon, mas não curtimos esse show não. É muita propaganda para pouca coisa (pelo menos na nossa opinião).

      • Fernanda

        Caramba! Vc é mt rápida! desculpa… te chamei de Thais rs É GABI! Obrigada pela resposta. Uma amiga me falou que não gostou do show de luzes também. Então vou ficar menos chateada de não assistir!

        • Kkkkkk, vi que Thais tinha sido a última a comentar e imaginei que você tivesse trocado os nomes por causa disso!
          Ah, outro passeio legal é em Lantau, para ver o Big Buddha. Você realmente terá muito tempo, mas 15 horas em HK não são como 15 horas em cidades na Europa onde você consegue fazer um monte de coisa. HK é lotada de gente, tem fila pra tudo e as horas passam super rápido! Se quiser comer uma comida cantonesa sucesso, indico Din Tai Fung (não conheci o de HK, mas comi no de Cingapura e sou completamente apaixonada pela comida de lá). Caso lembre de mais coisas eu te aviso.
          Obs: quando será a sua viagem? Ainda falta o post de Kowloon. Você chegou a ver os outros dois posts que já publiquei?

          • Fernanda

            Oi Gabi. Foi exatamente isso que aconteceu… li todos os comentários e gravei o último nome que li rs

            Li todos os seus posts de Hong Kong tb e Já pesquisei sobre o big buddha. Pelo google maps, vi que fica a 8 min de carro do aeroporto. Como abre às 9am nos domingos, eu acho que dá tempo de guardar as malas, trocar dinheiro e chegar bem na abertura. Acredito que pegaremos menos fila se formos bem cedo! e depois poderemos passear nos pontos turísticos que você falou.

            Adorei a dica do restaurante!

            Minha viagem é no dia 16 de dezembro. Tenho muuuuuito tempo para me programar e aguardar o seu post sobre Kowloon 🙂

          • Tem tempo mesmo! Quanto antes você se programar, melhor!
            Já coloquei o post de Kowloon na lista de prioridade 😉
            Quais as outras cidades da viagem? Temos muita coisa para escrever ainda sobre o sudeste asiático e colocamos nas prioridades quando os amigos e leitores pedem. Se precisar de algo, é só pedir!
            Beijos

          • Fernanda

            Vamos passar 20 h em Dubai também… Mas eu já conheço. De qualquer forma, se tiver dicas eu aceito… rs pq as vezes tem alguma coisa que eu não conheço ainda!! Estou pensando em pular de paraquedas ou tomar o brunch no burj al arab (não sei se tem aos sábados).

            Vamos para a Tailândia e Camboja. Já li seus posts de Camboja. Mas não tem nada sobre Tailândia. Vc conhece? Vamos passar ano novo lá (em koh phangan). Essa é a única coisa que já fechamos!! Tem alguma dica?

          • Ainda não conhecemos Dubai, mas indicamos o blog da nossa amiga Thais: Guia Mundo Afora. Ela já foi duas vezes pra lá e tem várias dicas 😉
            Temos dois posts sobre a Tailândia (sobre Bangkok e Phi Phi) e o terceiro sairá nessa semana ainda.
            Infelizmente não conhecemos Koh Phangan 🙁

  3. NAIARA

    Qual época do ano você foi?
    E a temperatura?

  4. GUSTAVO

    Gabriela, bom dia!

    Recomenda algum hotel na cidade? Vc se hospedaria em Kowloon?

    Obrigado!

  5. Gabriela Moniz

    Pois é, Thaís! É tudo muito diferente mesmo, até a aparência (segundo eles).
    Se você pretende sair da China para ir a Hong Kong e depois voltar, aí é melhor tirar o visto de múltiplas entradas.
    Bjs

  6. Thaís Towersey

    Eu sabia que Hong Kong não fazia parte propriamente dita da China, mas não que tinham tantas diferenças! Até o dinheiro é outro, gente! Inclusive se você vai pra China e decidi visitar Hong Kong, é considerado que você saiu do país, então o certo é perdir um visto de multiplas entradas. Uma amiga morou lá e me contou isso 😉

    Beijão!

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *