Diário de Viagem: Carnaval na Bolívia

Ainda no ano passado, antes mesmo de fazer a grande viagem pelo Sudeste Asiático, estávamos preocupados com o nosso carnaval, já que sempre temos uma folguinha nessa época e o carnaval de 2015 cairia apenas 3 semanas após o nosso retorno ao Brasil.

Como um dos nosso grandes sonhos era visitar o Salar de Uyuni, tiramos as nossas passagens de milhas para Santa Cruz de la Sierra para depois seguir viagem até o salar.

Assim que chegamos a Santa Cruz, ficamos impressionados com a paisagem nada andina que estávamos esperando. A cidade parece com qualquer cidade brasileira de médio porte. Prédios modernos, shoppings legais, carrões e não muitas pessoas com aparência andina que conhecemos. Fizemos um pequeno passeio pelo centro histórico, que estava praticamente todo fechado por causa das festas de carnaval.

Comércio protegido para as comemorações de Carnaval

Assistimos aos desfiles no Cambodromo (uma mini escola de samba com um ar de festa junina) e no dia seguinte de manhã partimos de avião para Sucre, a capital constitucional do país e o local onde finalmente vimos bolivianos com roupas tradicionais!

A primeira vez que vimos locais com roupas tradicionais

Sem reservas de hotéis, por não sabermos a facilidade de ir de ônibus até Uyuni, fomos informados de que não havia ônibus direto até o nosso desejado destino (sei que existe, mas não encontramos a agência que faz esse trajeto). Assim, pegamos uma van e seguimos viagem por 2 horas e meia até Potosí (cidade a 4 mil metros de altitude) e foi o primeiro local onde conheci os efeitos da altitude ao sair da van tontinha e com a respiração mais pesada. Só que uns 5 minutos após a nossa chegada tinha um ônibus saindo em direção a Uyuni. Pegamos esse busão mesmo (tinha gente sentada no corredor!) e enfrentamos mais 3 horas e meia até a cidade de Uyuni.Bem na hora em que chegamos, começou uma tempestade com ventos fortes, raios, muita chuva e frio. Imaginem que ainda teríamos que procurar um hotel andando na chuva, o que não foi uma tarefa fácil, já que a cidade estava lotada por causa do carnaval.

A tempestade que nos esperava em Uyuni

Após andar de hotel em hotel, finalmente conseguimos um quartinho no quarto lugar procurado!! Colocamos as mochilas no quarto e saímos (na chuva mesmo) para ver se conseguiríamos reservar o passeio ao salar no dia seguinte, mas as agências estavam fechadas. Então jantamos em um fast food boliviano que era imitação do americano KFC.

Acordamos bem cedo no dia seguinte e fomos procurar as agências para fazer o tão esperado passeio de 3 dias pelo salar. Só que ninguém nos contou que durante o carnaval a cidade fixa muito lotada e que é impossível conseguir o passeio de 3 dias sem ter feito uma reserva com antecedência. Procuramos em mais de 10 agências até que tivemos a sorte de encontrar uma que ainda tinha um carro disponível para fazer o passeio de 2 dias.

Sem possibilidade de escolha e de pechinchar, aceitamos o passeio de 2 dias. Fazer o que?? Fomos em um jipe com uma galera de São Paulo, mas só vimos a grande atração (Salar de Uyuni) no final da tarde do primeiro dia de passeio.

O pôr do sol no Salar foi uma das coisas mais lindas que já vimos na vida! Como o local estava alagado, o céu era refletido na terra e por isso a cor amarelada do chão.
Na parte seca é possível fazer várias brincadeiras para conseguir uma foto legal!

Passeio imperdível, que contaremos em uma postagem própria, e que ficará para sempre em nossas lembranças de uma das paisagens naturais mais incríveis que vimos!!!

Mas a viagem não acabou por aí! Passamos mais meio dia em Uyuni até conseguirmos um ônibus disponível para fazer a viagem até Potosí e de lá a Sucre (o que foi uma tarefa nada fácil!). A falta de informação e organização aqui no país foi o que mais nos atrapalhou, mas a Bolívia é assim e tivemos que dançar conforme a música.

Bem, Sucre é a penúltima cidade que estamos visitando na viagem e podemos dizer que é a mais interessante, por sua história e arquitetura colonial que fazem do lugar um destino turístico do país.

Na Plaza 25 de Mayo, em Sucre

Amanhã voltaremos a Santa Cruz de la Sierra para voltarmos ao Brasil no dia seguinte. Andamos de transporte público com os locais, comemos comida típica e aprendemos que uma viagem à Bolívia dificilmente sai 100% como o programado, o que, no final, não é tão ruim, afinal essa é assim que se vive na Bolívia!

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em diversos países – evite filas!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

10 Comentários

  1. Bauhaus

    Galera, adorei o blog! As informações são ótimas! Estou com passagens compradas para Bolívia. Vou no carnaval deste ano. Espero conseguir fazer o tour de um ou dois dias no Salar e ver um pouco do carnaval de Oruro. Estou muito animado com tudo, mas um pouco inseguro. Desejo que tudo dê certo. Amém.

  2. Gabriela Moniz

    Não faz nem uma semana que voltamos a já estou com saudades daquela paisagem incrível. Vamos tentar nos organizar para escrever sobre o sudeste asiático e sobre a Bolívia de uma forma que ajude aos amigos que vão viajar a esses destinos. Não sei se você já fez seu roteiro, mas indicaria que você pesquisasse as passagens aéreas de La Paz a Sucre. Soube que as estradas não são das melhores rss
    Bjs

  3. Sthefania Memelli

    Vou aguardar ansiosamente o post do salar!
    To indo em Maio, mas chego por La Paz!

    bjs

  4. Gabriela Moniz

    Fomos de avião até Sucre, mas para chegar a Uyuni sai muito caro. Aí pegamos uma van até Potosí (2:30 de viagem) e depois um ônibus até Uyuni (3:30 de viagem).

  5. Por aí e Por aqui

    Eu achei que vc tinha de avião como eu li em algum outro blog!

    Vcs estão me matando de vontade!

  6. Gabriela Moniz

    OMG!! Mas sabe que no final achei tudo isso engraçado. A gente que tem que entrar no ritmo do país, né? Por mais que as coisas não saiam como o planejado, tudo vale pela visita ao salar!

  7. Gabriela Moniz

    Aqui na Bolívia os serviço são bem diferentes do Brasil e a gente precisa ter um pouco de paciência, principalmente na hora de viajar pela via terrestre, já que nem sempre conseguimos viajar em determinados dias e horários. Por isso, indico que faça uma viagem com tempo para poder fazer os passeios tranquilamente. Queríamos ter feito 3 dias de Salar mas não havia nenhuma agência disponível. Tentamos voltar para Sucre em um horário mas só conseguimos bem mais tarde. De certa forma, essas coisas acabam sendo o diferencial do país e no final demos boas risadas!
    Tentarei escrever posts bem mastigadinhos sobre o passeio ao Salar. Bjss

  8. Anônimo

    Muito legal esse passeio. A Bolívia é fantástica e barata! Mas tenho que concordar contigo que a viagem para lá não sai 100 % como planejado. Quando voei de La Paz para Uyuni, a Amaszonas (que usa um Bombardier ) decidiu deliberadamente deixar em La Paz a minha mala (que só tinha 13 quilos) por excesso de peso do avião. O detalhe é que eles não restrigiram o peso e quem quisesse poderia despachar uma mala de 23 quilos no check in. A sacanagem foi eles não terem me comunicado que a minha mala iria ficar. Resultado, três dias no salar praticamente só com a roupa do corpo…

  9. Por aí e Por aqui

    Quero muito ir no Salar, mas quero aproveitar a ida a Bolivia para ir a Copacabana e dormir na Isla do Sol.
    Acho que ou precisar de mais de 1 semana, né?!

    Aguardando seu relato especial do Salar! 😉

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *