Irlanda: o que fazer em Dublin em 2 ou 3 dias

Irlanda: o que fazer em Dublin em 2 ou 3 dias

Última atualização em por

Dublin, capital e maior cidade da Irlanda, é uma metrópole viva, charmosa e muito procurada pelos brasileiros que querem estudar inglês no exterior. Tínhamos uma grande vontade de conhecê-la e a nossa dúvida era o que fazer em Dublin durante a nossa viagem à Irlanda, já que não teríamos mais que 3 dias disponíveis para explorá-la.

Fizemos algumas pesquisas na internet, organizamos o nosso roteiro e finalmente fomos conhecer a capital de mais um novo país para marcarmos no nosso mapa.

Não nego que não sabia muita coisa sobre o país além dos seus famosos pubs e da figura de Saint Patrick, o santo padroeiro da Irlanda. Como sempre temos algo a aprender sobre algum lugar, marcamos as atrações turísticas mais visitadas de Dublin e fomos ver de perto o que a cidade tem a oferecer!

Irlanda: localização, idioma e moeda

A Irlanda está localizada em uma ilha próxima à Inglaterra e ao País de Gales e faz fronteira com a Irlanda do Norte, uma das nações do Reino Unido.

Os idiomas oficiais são o inglês e o gaélico, esse segundo faz parte do grupo das línguas celtas e era o idioma principal antes da invasão inglesa à ilha. Hoje o gaélico ainda permanece vivo, principalmente em zonas mais rurais e na costa ocidental da ilha, sendo ensinado nas escolas até os dias atuais. Já o inglês é amplamente falado.

Descobrimos um vídeo em gaélico do hit “Wake Me Up”, de Avicii, e achamos bem interessante ouvir essa música tão conhecida em um idioma tão incomum para os brasileiros.

A Irlanda é um estado-membro da União europeia e adota o euro como moeda.

Como é a imigração em Dublin

Embora a Irlanda faça parte da União Europeia, a nação não assinou o Tratado de Schengen, que é o acordo de abertura de fronteira e livre circulação de pessoas entre os países signatários. Isso quer dizer que, se você sair de um país signatário do tratado para a Irlanda, deverá passar pela imigração irlandesa ao chegar ao país.

No nosso caso, chegamos ao continente europeu por Madri, capital da Espanha. Se desejássemos viajar para qualquer outro país signatário do tratado, como Portugal, Itália ou França, por exemplo, não precisaríamos mais passar pelo controle migratório. Mas, como o nosso destino era a Irlanda, foi necessário fazer a saída na imigração de Madri e na chegada em Dublin.

++ Dicas para passar pela imigração na Europa ++

Muito tem se falado nos últimos anos sobre a dificuldade para entrar na Irlanda justamente pelo fato de muitos brasileiros terem escolhido o país para estudar e imigrar. A nossa experiência na imigração foi super positiva e fomos recebidos por um agente simpático e que não fez muitas perguntas. Imaginamos que ficou claro na imigração que o nosso perfil é apenas de turistas, sem intuito de imigrar.

O mais curioso foi que saímos de Dublin para Edimburgo, no Reino Unido, e não teve controle de imigração nem na saída da Irlanda nem na entrada na Escócia.

Onde se hospedar em Dublin

Como em toda grande cidade, quanto mais perto do centro for o seu hotel, melhor. Claro que nem sempre isso é possível, mas conseguimos encontrar um hotel bem localizado na região central da cidade (Dublin City Centre) e com um valor muito bom.

O hotel era simples, não pagamos a mais para tomar o café da manhã, mas a sua localização compensou muito, pois não precisamos pegar transporte público nenhuma vez. O nome do hotel onde ficamos hospedados é Belvedere Hotel Parnell Square.

++ Você pode acessar aqui um lista enorme com diversas opções de hotéis em Dublin ++

O que fazer em Dublin: roteiro para 2 ou 3 dias

Passadas essas explicações gerais sobre a Irlanda, vamos ver o que fazer em Dublin em um roteiro para quem tem de 2 a 3 dias para explorar a cidade, mas que também pode ser adaptado para 1 dia e meio, caso você tenha interesse em fazer alguns passeios fora da cidade.

Iremos separar as atrações turísticas por categorias que nós criamos, facilitando a organização do seu roteiro de acordo com o seu interesse.

Todos esses pontos de interesse estão marcados no mapa para que você tenha ideia da proximidade entre uma atração e outra.

1- Ruas de Dublin

Dublin é uma cidade bem bonitinha e com uma arquitetura super fofa! Tivemos a oportunidade de passear pelas ruas do centro, que eram muito animadas, ainda mais por conta da proximidade com as festas do final do ano.

Começamos os passeios pela O’Connell Street, a principal rua de Dublin, localizada no coração da cidade. Essa rua é aquele lugar por onde você inevitavelmente passará mais de uma vez e andará por suas calçadas largas e cheias de pedestres. Nela estão localizados, além de muitos locais para comer, o centro de informações turísticas de Dublin e um dos pontos do Airlink Express, o ônibus que conecta o centro da cidade ao aeroporto.

++ Como ir do aeroporto ao centro de Dublin ++

A O’Connell Street está conectada a duas ruas comerciais bem importantes da cidade, como a Parnell Street e a Henry Street, essa última repleta de lojas e local onde organizam uma Feirinha de Natal no final do ano.

Henry Street Dublin

Feirinha de Natal na Henry Street

Uma dica para quem deseja economizar na alimentação é comprar alimentos na rede de mercados chamada Tesco. Há vários espalhados pela cidade, inclusive nessas ruas ou suas imediações. É uma excelente pedida para comprar uma bebida ou um lanche rápido.

Outra rua que achamos bastante interessante é a North Earl Street, uma das principais ruas comerciais do centro de Dublin. Além de encontrarmos muitas opções de lugares para comer nessa área, vimos também muitas lojas, inclusive de souvenirs, até uma loja onde tudo é super barato, estilo as de R$1,99 que encontramos no Brasil.

Além dessas, há outras ruas descoladas na cidade, como Francis Street, Capel Street, Drury Street, Maior StreetCrown Alley.

2- Igrejas de Dublin

Por onde quer que a gente vá, sempre gostamos de visitar os templos religiosos daquele país, afinal, religião também é cultura e já vimos muita arquitetura bonita seja em igrejas, templos budistas ou sinagogas.

As igrejas na Europa costumam ser bem bonitas e as de Dublin não ficam pra trás. Visitamos duas catedrais bem famosas, a Saint Patrick’s Cathedral (Catedral de São Patrício), uma igreja muito antiga, construída para homenagear o padroeiro da Irlanda, sendo que, historicamente, foi local de conversão ao cristianismo, isso há mais de 1500 anos.

Saint Patrick's Cathedral Dublin

O lindo interior da Saint Patrick’s Cathedral

Em virtude de sua importância histórica, é considerada a catedral nacional de toda a Irlanda e um dos grandes pontos turísticos de Dublin, sendo cobrada uma taxa para visitá-la.

A Saint Patrick’s Cathedral está aberta para visitação nos seguintes horários:

Março a outubro

  • Segunda a sexta: 9:30 às 17:00
  • Sábado: 9:00 às 18:00
  • Domingo: 9:00 às 10:30 | 12:30 às 14:30 | 16:30 às 18:00

Novembro a fevereiro

  • Segunda a sexta: 9:30 às 17:00
  • Sábado: 9:00 às 17:00
  • Domingo: 9:00 às 10:30 | 12:30 às 14:30

Aqui neste link você pode acessar o site oficial da catedral e obter os valores atualizados para a visitação, bem como maiores informações sobre os tours guiados, endereço, dentre outros.

Outra igreja muito importante é a Christ Church Cathedral, conhecida também como a Catedral da Santíssima Trindade, considerada a catedral medieval mais antiga de Dublin.

Christ Church Cathedral Dublin

A arquitetura da Christ Church Cathedral e detalhe para o banco com uma estátua de um homem deitado

Além da arquitetura super bonita, essa catedral possui uma cripta medieval que, na minha opinião, faz valer muito a visita.

Visitando a cripta, tivemos a oportunidade de aprender um pouco sobre a história do país e da primeira Carta Magna da Irlanda, vimos as roupas usadas nas filmagens da série “The Tudors” e, o mais interessante, os restos de um gato e um rato mumificados.

É necessário pagar para visitar a cripta medieval.

A Christ Church Cathedral está aberta para visitação nos seguintes horários:

Março e outubro

  • Segunda a sábado: 9:30 às 18:00
  • Domingo: 12:30 às 15:15 | 16:30 às 18:00

Abril a setembro

  • Segunda a sábado: 9:30 às 19:00
  • Domingo: 12:30 às 15:15 | 16:30 às 19:00

Novembro a fevereiro

  • Segunda a sábado: 9:30 às 17:00
  • Domingo: 12:30 às 15:15

Clicando aqui você pode acessar o site oficial e verificar horários e valores atualizados.

Dentre as igrejas de Dublin, visitamos também a Saint Mary’s Pro Cathedral, mas não achamos tão bonita quanto essas duas.

3- Museus e locais históricos em Dublin

O que não faltam são museus e locais históricos para o turista que vai visitar Dublin e, por isso, é fundamental saber o que você pretende conhecer na capital da Irlanda para que consiga otimizar o tempo em que estiver lá e assim aproveitar a viagem sem o estresse de “ter que visitar tudo”.

++ Clique aqui para conhecer as principais atrações de Dublin e arredores e adquira os ingressos antecipadamente ++

Com apenas 3 dias inteiros na cidade, demos prioridades a alguns locais e deixamos outros para caso desse tempo (o que não aconteceu).

Uma dica para quem quer visitar muitas atrações pagas na cidade é adquirir o Dublin Pass, que pode ser comprado para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias e dá direito à entrada em 33 atrações de Dublin.

O primeiro museu que visitamos foi o Natural History – Museu de História Natural – um museu gratuito e simples, que conta com um acervo de milhões de itens da zoologia e geologia. Há vários animais empalhados e é um passeio interessante para quem nunca teve contato com esse tipo de acervo antes.

A parte de exibição é pequena e a visita não dura mais que uma hora. Recomendo para aquelas pessoas que se interessam pelo tema e/ou para quem quer se divertir sem gastar dinheiro.

Museu da história Natural Dublin

O museu está aberto nos seguintes dias e horários:

  • Terça a sábado: 10:00 às 17:00
  • Domingo e segunda: 13:00 às 17:00

No site oficial da atração você encontra os horários de funcionamento atualizados, os dias em que o museu está fechado e outras informações.

Um local famoso que visitamos, mas que não chegamos a explorar muito foi a Trinity College, a universidade mais antiga da Irlanda, fundada em 1592. A arquitetura da instituição é bonita e vale a pena dar uma volta por lá, pois a visitação é gratuita.

Para quem gosta de visitar bibliotecas, terá a oportunidade de conhecer a Old Library, que conta com 200 mil volumes de livros antigos, além do famoso Book of Kells, um manuscrito do evangelho do século IX. Para visitar a biblioteca é necessário pagar ingresso.

Outro local que visitamos e que gostamos foi o Dublin Castle – Castelo de Dublin – um edifício histórico (um dos mais importantes da história da Irlanda) que já foi fortificação defensiva da cidade, residência real, guarnição militar e local de recepção de visitas de estado.

É possível visitar as instalações internas do castelo com ou sem guia e conhecer a Sala do Trono, a Galeria São Patrício, a sala de jantar, quartos e corredor do aparato.

O castelo está aberto para visitação todos os dias, das 9:45 às 17:45, não abrindo nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e no dia 1 de janeiro. Todas informações sobre valores atualizados você encontra no site oficial da atração.

O último museu que visitamos em Dublin foi o EPIC The Irish Emigration Museum – Museu da Emigração – um museu super interativo que conta a história do grande contigente de irlandeses que deixaram o país (10 milhões de pessoas) e o impacto que essa grande onda de emigração teve em todo o mundo.

Museu da Emigração em Dublin

Dentro do Museu da Emigração

Sem dúvida que a visita ao Museu da Emigração valeu muito a pena! Separe pelo menos 2 horas para percorrê-lo com calma.

O museu está aberto nos seguintes horários:

  • Sextas às quartas: 10:00 às 17:00
  • Quintas: 10:00 às 19:00

Acesse aqui o site oficial da atração para informações atualizadas sobre horários de funcionamento e valores dos ingressos.

Há ainda muitos museus e edifícios históricos na cidade e seria necessário passar bem mais tempo por lá para podermos visitar tudo o que gostaríamos. Dentre alguns desses locais, listamos: Kilmainham Gaol, Little Museum, The Dublin Writers Museum e The National Leprechaun Museum.

4- Parques de Dublin

A depender da época do ano em que você for a Dublin, passear pelos parques da cidade pode ser uma boa pedida.

Durante a nossa passagem por lá, em pleno inverno, não ficávamos muitas horas parados ao ar livre, mas mesmo assim fomos dar uma caminhada pelo St Stephen’s Green – Parque Santo Estevão – um dos parques públicos mais antigos do país. Imagino que no período de primavera/verão os parques de Dublin devem ficar bem cheios de turistas e locais.

Mesmo com a temperatura baixa e o vento frio batendo no rosto, foi interessante ver aquela paisagem que misturava gramado verde com árvores completamente secas, dando aquele ar introspectivo do inverno que dificilmente vemos no Brasil.

St Stephen's Green

Folhas secas durante o inverno no St Stephen’s Green

Perto do St Stephen’s Green há também um outro parque, o Iveagh Gardens, bem menor que o primeiro e que está rodeado de edifícios.

Agora se você for um pouco mais longe, chegará ao Phoenix Park, conhecido por ser o maior parque urbano da Europa!

Esse parque fica mais distante do centro da cidade e é dentro dele onde está localizado o zoológico de Dublin, mas caso não tenha interesse em visitar o zoo, poderá tirar um turno para conhecer o parque, pois terá muito o que fazer por lá.

5- Para quem gosta de beber

Agora vamos falar sobre um tema que não é muito da nossa área, mas que não podemos deixar de lado quando falamos da Irlanda: bebida alcóolica.

Muita gente acha estranho quando dizemos que não gostamos cerveja e outras bebidas. Até chegam a nos perguntar se tem algo a ver com religião (outra coisa que não temos), mas a verdade é que, na nossa cultura, adultos que não apreciam bebidas, principalmente homens, causam muita estranheza.

Eu até chego a beber uma taça de vinho ou algum drink mais adocicado, já Fabrício não gosta mesmo de bebida alcoólica e até brinca que prefere aquelas bebidas coloridas e com frutas, de preferência com quase nada de álcool.

O lado bom desse nosso estilo de vida é que economizamos horrores nas nossas saídas com amigos e a nossa saúde agradece bastante!

Por outro lado, se aquele lugar que estamos visitando é famoso por uma determinada bebida, eu faço questão de experimentá-la, mesmo que seja para dar um gole e deixar o restante no copo. E em Dublin não foi diferente…

Um dos lugares que fizemos questão de visitar foi a região do Temple Bar, um bairro cultural que preservou a arquitetura medieval com suas ruas com pedras. E claro que no meio disso tudo não poderíamos deixar de visitar o famosíssimo The Temple Bar, o pub mais visitado por turistas que vão a Dublin.

The Temple Bar Dublin

O The Temple Bar é tão famoso que acabou virando uma das grandes atrações de Dublin

Criado há mais de 170 anos, o The Temple Bar é um pub super estiloso e muito animado, com muita música e uma variedade enorme de bebidas.

Outro lugar que os amantes da cerveja irão adorar é o edifício da Guinness Storehouse, onde o visitante poderá conhecer a história da Guinness, a cerveja mais popular da Irlanda. Na visita ao local aprende-se sobre a história da bebida, os rótulos antigos e mais recentes, as formas de produção da bebida, além da degustação.

Mas não é só de cerveja que a Irlanda é famosa. Os apreciadores do uísque também podem aproveitar bastante na cidade. Tanto que há até um museu em homenagem à bebida, o Irish Whiskey Museum. Inaugurado em 2014, o museu conta a história da bebida e oferece a degustação de alguns tipos diferentes de uísques irlandês.

Outro lugar que pode ser interessante também para quem curte a bebida é a Jameson Destillary, uma destilaria super famosa onde é possível fazer uma visita guiada, aprendendo sobre o processo de criação do uísque irlandês e depois, é claro, fazer a degustação do famoso uísque Jameson.

O que achamos de Dublin

A cidade superou as nossas expectativas! Imagine que visitamos Dublin em pleno inverno e esperávamos encontrar uma cidade fria, não só em relação à temperatura, mas também no modo de vida das pessoas.

E o que encontramos foi o oposto: uma cidade viva, animada, com muita gente andando pelas ruas, inclusive durante a noite, e pubs lotados de gente curtindo a vida.

A cidade tem uma arquitetura bonita, é agradável para caminhar e, se compararmos a outras capitais europeias, não tem um custo muito elevado.

Gostaríamos de ter feito passeios para outras localidades próximas, como as Falésias de Moher, mas o nosso tempo era realmente curto e preferimos aproveitar mais Dublin.

Esperamos um dia voltar e poder explorar mais a Irlanda!

Fachada bonitinha de um dos milhares pubs de Dublin

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em mais de  165 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em diversos países – evite filas!

✈️ Compre aqui as suas passagens aéreas e consiga as melhores tarifas e condições de pagamento!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

Ama animais, viagens e gastronomia, sempre tentando conciliar suas três paixões. Andou por quase 60 países e está sempre programando a próxima viagem. O destino? Depende das promoções de passagens aéreas!

Deixe um comentário