10 dias no Sri Lanka

Roteiro de viagem de 10 dias no Sri Lanka

O Sri Lanka é um país pequeno, exótico e com paisagens das mais variadas, que vão desde cidades caóticas, praias belíssimas, sítios arqueológicos a vida selvagem.

Em 10 dias, visitamos 8 cidades diferentes, aprendemos um pouco da cultura local, experimentamos a comida típica e pudemos vivenciar um pouco do dia a dia dos cingaleses.

Foi uma viagem corrida, que conseguiu reunir um pouco da diversidade presente no país: conhecemos os sítios arqueológicos mais famosos, viajamos em trens e ônibus lotados, conhecemos uma praia de águas cristalinas e até safari fizemos.

Veja o nosso roteiro de 10 dias no Sri Lanka com valores em rúpias cingalesas e/ou dólares (as atrações e transportes são indicados com valores unitários e os valores dos hotéis e alimentação são para um casal). Para converter os valores para reais, indicamos que utilize o conversor online.

Roteiro de viagem: 10 dias no Sri Lanka
Dia 1 – Colombo

Colombo, a maior cidade do país, foi a nossa porta de entrada no Sri Lanka. Partimos de Bangkok, na Tailândia, e em pouco mais de 3 horas estávamos no Sri Lanka.

Após pesquisas, descobrimos que havia Uber em Colombo e que o valor era mais acessível que táxis. Enquanto os táxis, tabelados, cobravam algo em torno de 2800 rúpias cingalesas, o Uber cobrava a metade do valor.

Achamos os hotéis em Colombo mais caros do que em outras cidades do Sri Lanka, mas escolhemos ficar hospedados em Colombo Fort, o centro financeiro da cidade e local de fácil acesso às atrações turísticas e à estação de trem.

Após pesquisas, decidimos ficar em um hotel boutique cápsula, que tem um conceito bem diferente dos hotéis comuns, pois os quartos são verdadeiras cápsulas. Gostamos tanto que decidimos indicar para aqueles que vão à cidade e não têm nenhuma recomendação de hotel. O único inconveniente é que, no hotel cápsula, os banheiros são coletivos, mas sempre estavam muito limpos. Com certeza voltaríamos a ficar lá!

Não conseguimos conhecer Colombo no primeiro dia, mas já deu para sentir o pouquinho do Sri Lanka, seja pelas pessoas que passaram por nós com suas roupas diferentes, seja pelo calor infernal que faz naquele país, rs.

💰Gastos:

  • Uber: 1.412Rs
  • Hotel em Colombo: U$50

🏨Pesquise os hotéis em Colombo e veja os valores em reais

Dia 2 – Anuradhapura

No segundo dia, acordamos cedo e pegamos um trem de Colombo a Anuradhapura. Compramos as passagens na hora e embarcamos em uma aventura de aproximadamente 6 horas para percorrer um pouco mais de 160km. Demorado, hein?

Assim que desembarcamos em Anuradhapura, contratamos um tuk tuk para nos levar até o hotel e depois fazer alguns passeios.

Após termos passado quase que o dia todo no trem, tivemos que correr para conhecer algumas atrações naquele mesmo dia.

O guia nos levou até uma árvore sagrada para os budistas e depois a Mihintale, local onde começou o budismo no Sri Lanka. Prepare as pernas, pois as escadarias de Mihintale te esperam!

Maha Stupa em Mihintale

A Maha Stupa em Mihintale

Ficamos hospedamos no Kutumbaya Resort, um hotel super barato e com quartos confortáveis. A recepção do hotel parece uma casa de uma família e por isso não estávamos esperando muito. Mas quando chegamos ao nosso quarto, achamos muito superior ao que parecia ser. É simples e confortável.

💰Gastos:

  • Passagem de trem: 290Rs
  • Valor do passeio de tuk tuk para 3 pessoas: 2500Rs
  • Entrada em Mihintale: 500Rs
  • Alimentação: 1500Rs
  • Hotel: U$35,88

🏨Pesquise hotéis em Anuradhapura e veja os valores em reais

Dia 3 – Anuradhapura/Dambulla

Passamos a manhã conhecendo o sítio arqueológico de Anuradhapura com o nosso guia/motorista de tuk tuk. Para conhecer as atrações mais importantes, é necessário comprar uma cartela de ingressos válida por um dia. Mas mesmo com essas cartela, ainda foram cobradas entradas à parte em alguns lugares.

Atrações visitadas em Anuradhapura:

  • Isurumuni Raja Maha Viharaya
  • Royal Park
  • Sri Maha Bodhiya
  • Lowamahapaya
  • Ruwanwei Iseya
  • Thuparamaya
  • Lankaramaya
  • Moonstone
  • Twin Pond
  • Isurumuniya
  • Mirisawetiya
  • Jethawanaramaya

Como alguns dos locais turísticos ficam muito próximos um dos outros, é relativamente fácil e rápido visitar a maioria.

Após o passeio, pegamos um ônibus para Dambulla, que demorou 1 hora e 30 minutos para chegar.

Assim que chegarmos a Dambulla, deixamos as mochilas no hotel e contratamos um tuk tuk para nos levar até a atração mais famosa: The Rock Temple, um templo budista encravado na pedra. LINDÍSSIMO!!! Para quem gosta de macacos, esse lugar é o paraíso, pois o que não faltam são as gangues dos macacos passeando por lá. Com certeza está entre os locais imperdíveis que conhecemos no Sri Lanka.

The Rock Temple em Deambula

Dentro do The Rock Temple

O hotel onde nos hospedamos em Dambulla era muito simples, mas com um atendimento excelente e um café da manhã sensacional. A localização não é central, mas os funcionários indicam motoristas de tuk tuk confiáveis.

🍴Dica de restaurante: Mango Mango

💰Gastos:

  • Passeio de tuk tuk para 3 pessoas: 2500Rs
  • Cartela de ingresso: U$25
  • Entrada no Sri Maha Bodhiya: 200Rs
  • Entrada no Isurumuni Raja Maha Viharaya: 200Rs
  • Ônibus para Dambulla: 90Rs
  • Tuk Tuk para The Rock Temple: 500Rs
  • Entrada The Rock Temple: 1500Rs
  • Alimentação: 1150Rs
  • Hotel em Dambulla: U$47,95

🏨Pesquise hotéis em Dambulla e veja os valores em reais

Dia 4 – Sigiriya/Kandy

Acordamos cedo e contratamos um guia para nos levar até a atração mais famosa do Sri Lanka: Sigiriya, uma cidade antiga construída em cima de um rochedo de mais de 300 metros. É o cartão postal do país e realmente vale muito a visita.

Disponibilize pelo menos 2 horas para conhecer o local e subir ao topo da pedra. O passeio é muito cansativo, mas vale muito a pena chegar lá em cima.

Pedra de Sigiriya

A pedrea de Sigiriya – tem que subir no topo!

Para otimizar o tempo, deixamos as mochilas dentro do tuk tuk, pois de lá o guia já nos deixaria no ponto de ônibus para Kandy, uma cidade caótica considerada muito importante para o budismo.

A viagem de ônibus para Kandy durou 1 hora e 30 minutos e por isso conseguimos ainda visitar o local mais importante da cidade: o Templo do Dente de Buda. Para ser sincera, achei a atração muito cara para os padrões do país e para o que ela oferece, ainda mais se levarmos em consideração que o “dente do Buda” fica recluso e só aparece em horários determinados quando acontecem os rituais.

Templo do Dente de Buda

Local onde está escondido o famoso dente de Buda

💰Gastos:

  • Entrada em Sigiriya: U$30
  • Tuk Tuk para Sigiriya: 2000Rs
  • Ônibus para Kandy: 100Rs
  • Alimentação: 1150Rs
  • Entrada no Temple do Dente de Buda: 1500Rs
  • Hotel em Kandy: U$25

🏨Pesquise os hotéis em Kandy e veja os valores em reais

Dia 5 – Ella

Com o tempo apertado para visitarmos ainda outras cidades, embarcamos de manhã cedo em um trem de Kandy para Ella. Foi mais uma viagem cansativa, que durou 6 horas em um trem quente e lotado. O mais engraçado foi que pagamos para irmos na primeira classe e quando entramos no trem os assentos já estavam lotadas. Tivemos que ir para os vagões de outras classes e mesmo assim tivemos dificuldades de sentarmos juntos. No Sri Lanka é assim: você paga a passagem de trem e senta onde encontrar lugar vago, rs.

Essa viagem de trem entre as duas cidades é considerada por muitas pessoas como a mais bonita do mundo por conta das paisagens verdes tomadas pelas plantações de chá.

Paisagem entre Kandy e Ella

Paisagem do trem na viagem entre Kandy e Ella

Assim que chegamos a Ella, deixamos as mochilas no hotel e fizemos uma trilha para subir o Little Adam’s Peak, um pico famoso na cidade de onde temos uma vista bem legal. O nosso objetivo era assistir ao pôr do sol, mas quando finalmente chegamos ao topo, uma neblina tomou conta do lugar e rapidamente já não víamos muita coisa.

🍴Dicas de restaurantes: Chill Cafe e Dream Café

💰Gastos:

  • Passagens de trem: 240Rs
  • Alimentação: 2290Rs
  • Hotel em Ella: U$44,40

🏨Pesquise os hotéis em Ella e veja os valores em reais

Dia 6 – Tissamaharama

Ainda em Ella, visitamos Rawana Falls, uma cachoeira de 25 metros considerada uma das quedas mais largas do país.

Depois de visitar essa famosa atração, pegamos um ônibus em direção a Kataragama e saltamos em uma cidade chamada Tissamaharama. A viagem durou 2 horas e 20 minutos.

Rawana Falls Sri Lanka

A Rawana Falls

Fomos a Tissa porque a cidade fica próxima ao Yala National Park, um dos locais que mais queríamos conhecer no Sri Lanka.

💰Gastos:

  • Ônibus: 180Rs
  • Alimentação: 2725Rs
  • Hotel em Tissa: U$37,80

🏨Pesquise os hotéis em Tissamahara e veja os valores em reais

Dia 7 – Safari no Yala National Park

Escolhemos o full day Safari, que é um Safari de um dia todo no Yala National Park. Após pesquisas na internet, contratamos a empresa “Yala Safari”, que fez um desconto para 3 pessoas de um safari com almoço incluído.

O passeio começa às 5 da manhã, quando o carro pega os turistas nos hotéis.

Vimos todos os animais mais famosos do parque: elefantes, macacos, búfalos, diversas espécies de aves, crocodilos, javalis, mangustos, leopardo e urso.

Safari no Yala National Park

Olhe os elefantes aí 🐘🐘

Acabado o passeio, pegamos 2 ônibus: um para Kataragama e outro para Matara. Depois pegamos um tuk tuk para nos levar até Mirissa.

💰Gastos:

  • Safari: U$55
  • Alimentação: 1000Rs
  • Ônibus: 190Rs
  • Tuk tuk: 500Rs
Dia 8 –  Mirissa Beach

Decidimos ir a Mirissa para pelo menos conhecer uma praia no Sri Lanka. Local de prática de surf, Mirissa Beach tem uma mar agitado de águas mornas e claras.

Passeamos um pouco pela praia e resolvemos que seria melhor seguir viagem, pois teríamos apenas mais 2 dias e ainda precisávamos conhecer Colombo.

Mirissa Beach

Águas transparentes de Mirissa Beach

💰Gastos:

  • Hotel em Mirissa: U$38,88
  • Ônibus: 300Rs
  • Alimentação: 2000Rs

🏨Pesquise os hotéis em Mirissa e veja os valores em reais

Dia 9  – Colombo

Colombo é uma cidade cheia de atrações para visitar. Com um trânsito louco e muita gente na rua, a vida diurna de Colombo é intensa.

Por outro lado, parece que a vida noturna não existe na cidade – 8 horas da noite já não vemos muito movimento pelas ruas, pelo menos na região central era assim.

No primeiro dia visitamos:

  • Manning Market
  • Clock Tower
  • Red Mosque:  Jami-Ul-Alfar Mosque
  • Saint Lucia’s Cathedral
  • Sri Ponnambalawaneswaram Kovil
  • New Kathiresan Kovil
  • Colombo National Museum
Red Mosque Colombo

Jami-Ul-Alfar Mosque, uma das construções mais bonitas de Colombo!

💰Gastos:

  • Colombo National Museum: 600Rs
  • Alimentação: 2060Rs
  • Hotel em Colombo: U$50
Dia 10 – Colombo

O calor que faz em Colombo é tão intenso que nos amolece. Durante todos os dias que passamos na cidade, tomávamos 3 banhos por dia para tentar conter aquele calorão. Para se ter uma ideia, já saíamos do banho suando!

Após caminharmos pela orla debaixo de sol, buscávamos por ar condicionado e foi assim que chegamos ao Odel, um shopping center bem moderno e com restaurantes e cafés super descolados.

Depois, voltamos à região do forte, onde estávamos hospedados, e resolvemos pagar pelo late checkout só para poder tomar banho e ficar mais um tempo no ar condicionado.

Lugares visitados no segundo dia:

  • Galle Face Beach
  • The Independence Square
  • Shopping Odel

🍴Dica de restaurante: Delifrance – Odel

💰Gastos:

  • Alimentação: 3.296,75Rs
  • Uber 2.719,16Rs

⚠️Atenção: o valor do Uber em Colombo muda de acordo com o horário. Embora tivéssemos pagado 1.412Rs pela corrida do aeroporto ao centro, pagamos quase o dobro para ir do centro até o aeroporto.

Como planejamos a viagem?

Tínhamos as passagens de avião de ida e volta para o Sri Lanka e sabíamos que queríamos conhecer algumas cidades. A  princípio, a dificuldade era saber se conseguiríamos encontrar passagens de trens e ônibus com facilidade para nos locomovermos entre as cidades.

Então decidimos que tentaríamos conhecer os principais pontos de cada lugar e seguir para a próxima cidade assim que possível.

Como viajamos com o chip de internet ilimitada, no momento que embarcávamos no ônibus/trem para a próxima cidade, pesquisávamos no site Booking as disponibilidades de hotéis e foi assim que fizemos as nossas reservas. Alguns hotéis gostamos e indicamos aqui, outros não foram tão confortáveis e por isso não indicaremos.

Alguns dados importantes sobre essa viagem:

  • Alguns hotéis no Sri Lanka não aceitam cartões de crédito;
  • Vale a pena pechinchar antes de contratar um motorista de tuk tuk;
  • As principais atrações turísticas são muito caras para o custo de vida do país;
  • É possível se comunicar em inglês com relativa facilidade;
  • Deve-se ficar atento quanto às roupas para visitar templos religiosos (temos que entrar descalços na maioria);
  • Viajar com mochila é muito mais prático do que com uma mala, principalmente nos deslocamentos;
  • Não encontramos casas de câmbio em Ella e tivemos que sacar dinheiro no caixa automático.
O que faria diferente?

Sem dúvida, colocaria mais dias – 15 dias, pelo menos. Não esperávamos que os deslocamentos fossem tão demorados, fazendo com que perdêssemos praticamente dois dias em viagens de trem.

Pela falta de tempo, deixamos de visitar outros lugares, como Polonnaruwa (a entrada custa U$25).

Quando for planejar uma viagem ao Sri Lanka, leve muito em consideração o tempo gasto com deslocamento e pesquise bastante na internet quais atrações você gostaria mais de ver e o que você gostaria de fazer.

É importante que você saiba que no Sri Lanka:

  • Há mais de um parque nacional para quem gostaria de fazer safari;
  • Há praias muito procuradas por surfistas, inclusive com escolas de surf;
  • Há passeios de barco para avistar baleias;
  • Há escolas de mergulho;
  • Há trilhas para subir montanhas;
  • Há uma infinidade de templos budistas e hindus para se conhecer;
  • Há passeios pelas plantações de chás do país.
Outros posts para ajudar você a organizar a viagem ao Sri Lanka:
Organize sua viagem com a gente:

🏥 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação e ganhe 5% de desconto.

🏢 Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

📱Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

🚘 Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

💵 Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente 😉

5 Comentários

  1. Renato

    Gostei muito das informações, levarei isso em consideração quando for para lá, muito obrigado pela relevância, parabéns!

  2. Camila Ramos

    Belo Post era o que procurava, venho acompanhando alguns post deste site e estou adorando ler-los.

  3. sandro

    Adorei o teu relato! Não sabia que o Sri Lanka era tão interessante. Em que época do ano vocês estiveram lá?

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »