Turismo em Porto Príncipe: o nosso maior desafio!

Antes de nossa ida a Porto Príncipe, já sabíamos que a viagem deveria ser muito bem programada já que, com exceção de Labadee, o Haiti não é um país muito turístico. O país foi a primeira colônia da América Latina a conseguir sua independência, entretanto, após um longo período de ditadura e um terrível terremoto, o Haiti continua sendo o país mais pobre do hemisfério ocidental, com 80% de sua população vivendo abaixo da linha de pobreza.

Por que visitar o Haiti?

Antes de começar a falar do turismo propriamente, gostaria de passar algumas pequenas informações sobre o país:

Idiomas oficiais:  francês e crioulo

Moeda: gourde

Clima em Julho: muito quente!

Nota de 100 gourdes estampa Henri Christophe, um dos revolucionários responsáveis pela independência do país

Nota de 100 gourdes estampa Henri Christophe, um dos revolucionários responsáveis pela independência do país

Fazer turismo em Porto Príncípe foi bem complicado pois, tanto os locais quanto os estrangeiros que moram na cidade, não recomendam de forma alguma que turistas andem sozinhos. Chegamos até a andar sozinhos nas redondezas do hotel e em nenhum momento nos sentimos inseguros, mas como não conhecemos bem a cidade, não avançamos muito.

Outro grande problema da cidade é que não existe um transporte público regular e todo o transporte é feito em uns carrinhos coloridos conhecidos como tap taps.

Os tap taps estão sempre lotados!

Os tap taps estão sempre lotados!

Após tantas recomendações, combinamos com um guia (a um preço bastante salgado e tabelado) para nos levar aos principais pontos da cidade. Mesmo com todas as dificuldades, com bastante planejamento, um pouquinho de dinheiro separado e boa vontade, dá para fazer turismo em Porto Príncipe.

Vamos aos principais pontos da cidade?

#1 Pétionville

É o bairro mais rico da capital e onde ficam os hotéis da cidade. É um local bem diferente de qualquer outra parte de Porto Príncipe, já que há calçadas, supermercado, bancos e algumas lojas. Se for a Porto Príncipe, esse é o bairro mais recomendado para se hospedar.

Na frente do nosso hotel

Na frente do nosso hotel

Como você pode ver, fizemos uma caminhada considerável por Pétionville e, apesar de toda a movimentação, tudo ocorreu dentro da normalidade, sem nenhum assédio.

Embora seja um bairro com muitos problemas de urbanização e saneamento, a infraestrutura de Pétioville é  considerada a melhor da capital do país. Um brasileiro que morou no Haiti chegou a dizer que Pétionville é a Beverly Hills de Porto Príncipe. Não quero nem pensar como é o pior bairro de lá.

O bairro mais rico da cidade também tem seus defeitos, como esse lixão a céu aberto

O bairro mais rico da cidade também tem seus defeitos, como esse lixão a céu aberto

Conseguiu perceber que até no local mais rico da cidade há sérios problemas? É triste, mas essa é a realidade do Haiti.

#2 Observatoire

É lugar de onde se tem a melhor vista panorâmica da cidade. Trata-se, na verdade, de uma restaurante que possui um mirante privilegiado. Não precisa pagar nada para ter acesso ao local mas, para nos sentirmos mais confortáveis em ficar no local batendo fotos e utilizar o banheiro, preferimos comprar um refrigerante, que por sinal ajudou muito a refrescar!

Vendo Porto Príncipe do alto do morro

Vendo Porto Príncipe do alto do morro

Desse local é que se tem noção da cidade - quase não vemos prédios

Desse local é que se tem noção da cidade – quase não vemos prédios

Tanto na entrada do restaurante quanto nas imediações, há lojinhas vendendo artesanato, quadros e outras lembranças. Se quiser comprar algo, é bom negociar porque o pessoal cobra valores astronômicos. Com uma boa conversa, conseguimos baixar para menos de um terço o preço inicial dos ímãs que trouxemos pra casa.

Ruas de Porto Principe Haiti

A caminho do observatoire – observe os quadros à venda

#3 Musée du Panthéon Nacional (MUPANAH)

O único museu que visitamos em Porto Príncipe e acredito que o único existente na cidade, é um museu bem conservado e que conta a história dos heróis da independência do Haiti. Não é permitido fotografar dentro do local e há armários para guardar os pertences.

Entrada do Panthéon Nacional

Musee du Pantheon Nacional Porto Principe Haiti

Muito conservado ao redor do museu, apesar de estar em uma das partes mais atingidas pelo terremoto de 2010

O acervo traça a história haitiana que vai desde o período pré colonial, os anos de escravidão, período revolucionário, pós revolucionário, segundo império até o período contemporâneo. Detalhe que a peça que mais nos chamou a atenção foi a âncora da Caravela de Santa Maria, responsável pelo transporte de Cristóvão Colombo até a América.

Horários:

Segunda a quinta: 08:00 às 16:00
Sextas: 08:00 às 17:00
Sábados e feriados: 10:00 às 16:00
Domingos: 12:00 às 17:00

Valor para estrangeiros (na época que visitamos): 210 goudes ou U$ 5

#4 Local do antigo Palácio Presidencial

Antes do terremoto em 2010, o Palácio Presidencial era uma construção muito imponente e de uma arquitetura belíssima. Soubemos que a estrutura estava comprometida, mas mesmo assim fomos até o local ver o que restou do palácio.

Palácio Presidencial antes do terremoto de 2010. Foto: http://en.wikipedia.org/wiki/National_Palace_(Haiti)

Palácio Presidencial antes do terremoto de 2010. Foto: Wikipedia 

Só que quando chegamos lá vimos que o local estava todo coberto e que removeram todo o entulho. Esperamos que um novo palácio seja construído no lugar.

Não há mais Palácio Presidencial

Não há mais Palácio Presidencial

#5 Considerações finais 

√ Diante da dificuldade de locomoção na cidade, realmente indicamos que contrate um guia. A recepção do hotel sempre tem alguém para indicar;

√ É bom trocar dólar pelo dinheiro local (gourde). Por isso recomendamos que faça o câmbio no Giant Supermarket (um excelente supermercado que fica em Pétionville). O câmbio é feito pelo segurança do mercado;

√ A cidade sofreu um terrível terremoto em 2010 que deixou muitos entulhos até hoje. Discrição é muito importante na hora de tirar foto desses locais;

√ Recomendamos que faça refeições no hotel ou em restaurantes indicados pelo hotel. Dê preferência a alimentos bem cozidos. No Haiti ainda há doenças que não foram erradicadas, como cólera;

√ Antes de sair andando por algum lugar, primeiro se certifique com alguém de confiança se é recomendado caminhar pelo local. No nosso caso, todos percebiam que não éramos de lá e muitas pessoas ficavam olhando pra gente;

√ Passamos por muitos lugares com esgoto a céu aberto, sujeira pelas ruas e mau cheiro. O ideal é agir com naturalidade;

√ Os haitianos adoram o Brasil e a seleção brasileira. Vimos mais bandeiras do Brasil do que de qualquer outro país;

Andando pelas ruas do centro de Porto Príncipe

Andando pelas ruas do centro de Porto Príncipe

Cenário muito comum no centro de Porto Príncipe

Cenário muito comum no centro de Porto Príncipe

Fazer turismo no Haiti requer bastante preparação, principalmente para quem nunca visitou um país de extrema pobreza. Isso não quer dizer que o pobre não seja legal. Nosso passeio pelas ruas de Porto Príncipe nos obrigou a fazer uma grande reflexão sobre a vida e com certeza saímos do Haiti com uma cabeça bem diferente, mais amadurecidos.

Essa viagem foi uma experiência única, que ficará marcada para sempre em nossas memórias!

Assista alguns dos nossos momentos em Porto Príncipe:

Pretende conhecer o Haiti?

Veja também:

Por que visitar o Haiti?

Dica de hotel em Porto Príncipe

Como ir de Santo Domingo a Porto Príncipe de ônibus

Organize sua viagem com a gente:

🏢 Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

🏥 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades.

📱Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

🚘 Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

💵 Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente 😉

15 Comentários

  1. Ruben

    Oi tenho 4 dias para passar no final de outubro e pensei ir pro Haiti, não para fazer turismo como vocês, mas para relatar o dia-dia dos haitianos. Acham que ir via Couchsurfing uma boa? 400 dolares para 4 dias é suficiente? Caso eu vá com locais, será que consigo ir a lugares como Citi Soleil? Aqui em São Paulo estou acostumado a fazer fotos na periferia em locais , não iguais ao Haiti, mas sim com trafico de drogas, e situações pesadas tambem.
    É um trabalho de faculdade e que posteriormente quero que vire um curta e um livro.
    Li em outro blog de um brasileiro que inclusive foi a um ritual de voodoo haitiano. Queria muito ir.

    Acham possivel? em 4 dias em Porto Principe? Prefiro ficar via couchsurfing do que em Petionville.

    Sentiram que iam ser roubados lá? Aqui em São Paulo eu não ando com a camera na mão todo o tempo, muitas vezes escondo na jaqueta, ou na mochila.. e quando vejo alguma cena ou local interessante, tiro a foto,mas nunca fui incomodado, sempre que vou em algum lugar que não sou familiar estou com alguem local.

    Acha que essa estratégia funcionaria no Haiti?

    Esses artistas, acha que eles falariam algo sobre a vida deles?

    Desculpa por tantas perguntas.. É que vou ter essa semana livre em outubro e queria muito ir retratar a realidade haitiana, desde as favelas como Citi Soleil, até a cultura com musica, dança, voodoo, até as tropas da onu,ongs e etc.

    Obrigado pela atenção

  2. Geffe

    Gostei muito da reportagem, estão de parabéns. Foi realmente uma aventura perigosa, falo isso pois trabalho na segurança pública e conheço a realidade de lugares como esse, pois aqui no Brasil também existe. Lugares onde não existe a figura do Estado, acabam sendo dominados por pessoas ruins, mas ruins mesmo!! Que impõem novas regras e costumes, e mesmo os bons, por motivo de força maior, ou pela necessidade de sobreviver, acabam fazendo coisas ruins. Vendo os videos, fiquei tenso, me coloquei no lugar de vocês, ainda mais por estarem bem vestidos (em comparação com a realidade do local) e ostentando câmeras fotográficas modernas, (até para a realidade do nosso país), pensava que a qualquer momento sofreriam algum tipo de abordagem, e sei que vocês sentiram o mesmo quando estavam lá expostos na rua. Estou planejando viajar para a RD e pensava seriamente em dar um pulinho no Haiti, pois estaria ali do lado mesmo, mas após ver esta reportagem, perdi totalmente a vontade. Como disse o Fabrício, para quem quer ir para adquirir conhecimento, é uma boa, mas para quem quer laser e descanso, esqueça!

    • Muito obrigada pela mensagem, Geffe!
      Foi uma viagem diferente, mas que mudou a nossa forma de ver o mundo. Realmente é para quem quer ver uma outra realidade, não para quem quer descansar.
      Abraços!

  3. Muito legal pessoal. Espero ter a oportunidade de conhecer o país um dia. O Haiti pagou muito caro por tornar-se independente. Uma vez li sobre isso (não lembro em qual livro) … o “castigo” por parte dos colonizadores, o boicote sofrido depois da independência, a criminalização cultural e religiosa a demonização do Sèvis Gine e toda a consequência do pioneirismo. Triste história de um país pobre que sofreu também com desastres naturais… Esse lance de refletir a partir de um olhar sobre a vida destas pessoas e com a pobreza do lugar, deveria ser uma experiência de mais pessoas… e até por isso tenho vontade de ir pra lá também… Obrigado pelo post.

  4. Beleza! Pode aguardar porque já tem mais um post quase saindo 🙂

  5. Arcanjo

    Olá Gabriela,

    Obrigado pela resposta. Já passei o e-mail. Pensando bem, acho que vou fazer como você comentou e, para algumas pessoas de cabeça mais fechada, omitir essa ida ao Haiti quando perguntarem para onde eu vou agora em janeiro. Fico aqui no aguardo dos próximos posts sobre o Haiti. Abraço!

  6. Olá Arcanjo, tudo bem??
    Quando planejamos nossa viagem ao Haiti nem falamos para muitas pessoas porque já sabíamos que muita gente iria "reprovar". Até hoje tem gente que me pergunta o que fui fazer lá. Pois é, essa viagem foi muito bacana e por isso fiz questão de compartilhar com todos aqui no blog. Nas próximas semanas tentarei escrever mais posts sobre hotel em Porto Príncipe e como foi nossa viagem de Santo Domingo pra lá. Sobre o guia, ele fala inglês e posso te mandar contato e valores. Você pode mandar um email para: [email protected] ? Aí posso te explicar tudo direitinho 😉 Abraços e disponha!

  7. Arcanjo

    Olá Gabriela, tudo bem? Estou com viagem marcada para a RD em janeiro e estou analisando visitar o Haiti, pois tenho interesse turístico parecido com o de vocês. Alguns amigos acham que sou louco e falam as mesmas baboseiras que me falaram quando fui visitar o Kosovo (e eu adorei a viagem!). Sei que o Haiti deve ser bem mais complicado, ainda mais para quem, em princípio, vai para lá sozinho. Você mencionou a contratação de um guia, você poderia passar os contatos e os valores que ele cobrou? Ele fala outra língua além de francês? Qual hotel vocês ficaram? Recomendam? Quanto tempo passaram em Porto Príncipe? Desde já agradeço.

    • marilete bonetti

      EU SOU BRASILEIRA, E CONHEÇO MUITOS HAITIANOS QUE ESTÃO NO BRASIL.
      SINTO ORGULHO POR ELES TEREM ESCOLHIDO MEU PAIS PARA SE REFUGIAR.
      SEI QUE CADA UM DELES TEM UMA HISTÓRIA E UM MOTIVO POR AS VEZES SE SENTIREM SAUDOSOS DOS FAMILIARES QUE LÁ FICARAM, QUEIRA DEUS TUDO ACABE BEM.

      • Com certeza, Marilete! Eles têm os motivos deles para terem vindo morar aqui. A situação no Haiti não é nada fácil e também fico muito feliz deles terem escolhido o nosso país. É bom para o povo brasileiro conviver com outros povos e assim, quem sabe, diminuir um pouco o preconceito.
        Obrigada pela mensagem 😉

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »