Viagem internacional grávida: o miniguia para a gestante viajante

Viagem internacional grávida: o miniguia para a gestante viajante

Última atualização em por

Todo mundo já ouviu aquela velha frase de que gravidez não é doença, mas muitas mulheres se perguntam como deve ser fazer uma viagem internacional grávida. Eu mesma, quando engravidei, já estava com passagens compradas para uma viagem de final de ano na Europa e não queria, de forma alguma, cancelar minhas sonhadas  férias.

Pesquisei muito, conversei com o meu obstetra, tomei todas as precauções e parti para o velho continente com um barrigão de quase 7 meses!

Se você é gestante, ou tem uma amiga, parente ou esposa que sonha em fazer uma viagem internacional grávida, seja para fazer o enxoval ou até mesmo para curtir os últimos momentos antes do bebê nascer (o famoso babymoon), veja aqui todos os cuidados que devem ser tomados antes e durante a viagem.

Viagem internacional grávida: será que é tranquilo?

Por mais que vejamos muitas mulheres grávidas viajando para fora do Brasil, principalmente para fazer o enxoval no exterior, quando somos nós que seremos mamães de primeira viagem, é super normal bater aquela insegurança.

Durante a minha gravidez, eu me tornei aquela mulher que lia muito sobre o assunto e só sabia conversar sobre coisas ligadas à maternidade. Virei a louca das grávidas, rs. Inclusive, lendo postagens de outras mulheres que viajaram grávidas, como Tati, do blog Por aí e Por aqui, que foi para o sudeste asiático grávida, e Lu, do Turistando com a Lu, que viajou para os EUA, Aruba e Buenos Aires grávida, me senti ainda mais motivada em viajar com o meu barrigão!

Sem dúvidas, foi bom ler bastante sobre o tema, pois me preparei muito durante essa fase e todos os cuidados que tomei foram essenciais para a minha primeira viagem internacional grávida.

Grávida no parque do Retiro, em Madri

Madri: o primeiro destino internacional com o barrigão

Se a gravidez é de baixo risco e está tudo caminhando direitinho, provavelmente será tranquilo viajar grávida para o exterior. Abaixo, seguem as dicas de tudo que eu fiz antes e durante a viagem internacional.

A importância de se exercitar antes e durante a gravidez

Esse talvez seja o maior motivo da minha gravidez ter sido super tranquila. Sempre pratiquei atividades físicas e, durante a gravidez, mantive as caminhadas e a musculação. Apenas parei de correr na esteira, por causa do risco de queda, e de fazer atividades com muito impacto.

Conversei com o obstetra sobre a importância da atividade física durante a gestação, li muito sobre o assunto e acabei descobrindo que, na verdade, é muito importante já ter esse hábito de praticar atividade física antes de uma possível gravidez. Já se a mulher é sedentária e decide fazer algum exercício físico durante a gravidez, aí é preciso orientação médica para saber qual tipo de atividade é mais recomendável.

Para aquelas mulheres que, assim como eu, já se exercitavam e mantiveram as atividades durante a gestação, imagino que não há grandes preocupações quanto ao destino da viagem internacional, inclusive para locais onde terá que caminhar bastante. Já para aquelas que não se exercitam, o ideal é pegar mais leve e evitar fazer viagens que envolvam muitas caminhadas.

Qual o melhor período da gestação para viajar?

Para quem ainda não está muito por dentro do assunto, na medicina, a gestação é contada em semanas, sendo que a gravidez é dividida em 3 trimestres.

1º trimestre (da 1ª até a 13ª semana de gestação)

Por ser o período inicial da gravidez, normalmente é quando as mulheres estão mais sonolentas, menos dispostas e, em alguns casos, quando aparecem os enjoos.

Não sofri com enjoos, mas não nego que bem no início da gestação eu sentia uma sono incontrolável! Cada oportunidade que tinha de deitar, lá estava eu dormindo feito a Bela Adormecida.

É nesse momento também que as mulheres costumam ficar mais inseguras, com aquele medo de que alguma coisa possa acontecer, tanto que muitas só deixam para contar a novidade aos parentes e amigos após o fim do 1º trimestre.

2º trimestre (da 14ª até a 27ª semana de gestação)

Esse, pra mim, e acredito que para a maioria das mulheres, é o melhor período da gravidez! Já estamos ficando habituadas com as mudanças do corpo, a barriguinha começa a ficar mais evidente e começamos a ficar mais dispostas.

Minha primeira viagem de avião grávida foi com 15 semanas de gestação, quando fui para a Bahia ver meus amigos e parentes. A minha barriga já estava começando a aparecer e eu estava toda animada, até estufando mais a barriga quando pegava as filas preferenciais. Se tem um momento na vida em que uma mulher gosta de estar barriguda, é quando está grávida, rs.

O 2º trimestre é conhecido como o melhor período para a mulher grávida viajar, pois, além de estar mais disposta, é quando também já sabemos o sexo do bebê, o que facilita quando a viagem internacional tem o objetivo de fazer o enxoval.

Foi na última semana do 2º trimestre que eu embarquei grávida para a Europa!

3º trimestre (da 28ª até a 41ª semana de gestação)

Barriga duplicando de tamanho a cada semana e cansaço começando a bater, à medida que vamos nos aproximando do finalzinho da gestação, vai chegando o momento de ficar mais quietinha e descansar bastante para a nova etapa da vida que vai se aproximando.

Não é uma fase ruim para viajar, eu mesma continuei batendo perna na Europa até a 30ª semana de gestação, mas confesso que, na última semana, eu já estava contando os dias para voltar para a casa e terminar de arrumar o quartinho do meu pequeno. Eu estava começando a ficar mais inchada e as minhas pernas começaram a doer após dias intensos de caminhadas.

É nesse período que normalmente as empresas aéreas pedem atestado médico para embarque de gestantes. Caso a sua viagem seja nessa fase da gestação, é importante conversar com o seu médico antes.

Até quantas semanas de gravidez é possível viajar de avião?

A regra para embarque de gestantes em voos nacionais e internacionais varia muito em cada companhia aérea.

Há empresas que só permitem o embarque de grávidas até a 36ª, sendo que a maioria solicita atestado médico e outros documentos a partir da 28ª semana de gestação.

Ou seja, para viagens antes da 27ª semana de gravidez, normalmente não precisa apresentar nenhum atestado e as gravidinhas podem viajar tranquilamente. Após esse período, é necessário verificar em cada companhia aérea a regra para embarque de gestantes.

Como eu organizei a parte burocrática das minhas viagens aéreas após a 27ª semana de gestação:

  • Verifiquei no site de cada companhia o que era necessário para embarcar de acordo com o período gestacional que eu estaria na data de cada viagem;
  • Pedi ao obstetra atestado médico para cada voo que eu fosse fazer, mesmo que o documento não fosse necessário;
  • Levei ao obstetra todos os formulários adicionais que cada empresa pedia, para que ele preenchesse e assinasse;
  • Carreguei comigo, em todas as viagens, a carteirinha de gestante, com todas as informações sobre a minha gravidez.

++ Aqui você encontra as regras para o embarque de mulheres grávidas em voos nacionais e internacionais em diversas companhias aéreas ++

De todos os voos que peguei nesse período da gestação, apenas em um internacional me pediram o atestado médico e em um voo nacional solicitaram um termo de responsabilidade.

Cuidados importantes antes de fazer uma viagem internacional grávida

O ponto principal para se pensar em fazer ou não uma viagem internacional grávida é ter uma gestação de baixo risco. Lembro que eu perguntei ao obstetra sobre a gravidez ser ou não de risco e ele falou que toda gravidez envolve risco, só que algumas podem ser de alto risco e outras de baixo risco (a minha se encaixava nesse último caso).

Antes de qualquer viagem é importante que a gestante:

  • Visite o(a) obstetra: para verificar como está evoluindo a gestação e solicitar atestados, se necessário;
  • Faça exames: principalmente de sangue e urina para ver se está tudo dentro da normalidade;
  • Verifique a quantidade de vitaminas/ômega3/ferro e/ou remédios de uso contínuo para levar na viagem;
  • Consultar médicos de outras especialidades, se necessário: exemplo – angiologista para verificar qual o tipo de meia de compressão usar durante a viagem;
  • Fazer uma verificação geral do guarda-roupa e escolher as opções mais confortáveis para a estação do ano em que a grávida viajará;
  • Contratar o seguro viagem que tenha cobertura para gestantes.

Seguro viagem para gestante: o item mais importante de todos

O seguro viagem é sempre o item mais importante para qualquer pessoa que for fazer uma viagem internacional e até mesmo para as viagens nacionais, caso a pessoa não tenha um plano de saúde de abrangência em todo o Brasil. É fato notório que muitos estados do Brasil não oferecem boas condições de atendimento médico, mesmo que a gente saiba que o SUS existe.

Em muitos países não existe saúde pública e, até mesmo quando há, normalmente é para o cidadão daquele país. Atendimento médico nos EUA, por exemplo, custa uma fortuna para os americanos que não possuem planos de saúde. Imagine para a gente?

Agora vamos pensar em uma mulher que fará uma viagem internacional grávida: o que fazer se houver alguma intercorrência durante a viagem? E se o bebê decidir nascer antes da hora?

Sinceramente? Não caia na bobagem de fazer uma viagem internacional grávida sem contratar um seguro viagem.

O grande detalhe é que não é qualquer seguro que cobre despesas para atendimento decorrentes da gestação. Seguros oferecidos por cartões de crédito muitas vezes não oferecem cobertura médico-hospitalar para mulheres gestantes.

É essencial verificar qual o seguro ideal para gestante, além de ler toda a apólice para saber em quais casos há cobertura, pois muitos seguros normalmente só cobrem despesas para gestantes até a 32ª semana, sendo que há alguns que oferecem cobertura até a 28ª semana de gravidez e mesmo assim, na maioria dos casos, a gestante tem que ter idade inferior a 40 anos.

Para a minha viagem para a Europa eu contratei um seguro GTA 55 Euromax, que tem cobertura não só na Europa, mas em qualquer outro continente.

Dentre as cláusulas do seguro que contratei, seguem as mais importantes:

  • Somente podem contratar esta cobertura as gestantes com idade igual ou inferior a 40 anos e com até 32 semanas de gestação na data do embarque para a viagem;
  • No caso de contratação de coberturas de despesas médico-hospitalares, são considerados os gastos decorrentes da internação e tratamento do recém-nascido prematuro, até o limite de 30 diárias hospitalares e ao esgotamento do capital segurado, o que ocorrer primeiro;
  • No caso de contratação de seguro por gestante cuja idade gestacional estimada seja superior a 28 semanas na data de embarque, a grávida deverá ter em mãos, em data anterior ao início da viagem, declaração de médico ginecologista e obstetra atestando a boa evolução da gestação e autorizando o embarque em transporte aéreo, ferroviário, rodoviário ou marítimo.

Estão excluídos da cobertura do seguro que contratei para a Europa:

  • Qualquer tipo de parto, natural ou cirúrgico, ocorrido após a 32ª semana de gestação, com exceção daquele provocado por acidente pessoal;
  • Despesas com o recém-nascido, incluindo internação em UTI neo-natal e demais despesas médicas e hospitalares ocorridas após o 30º dia do nascimento;
  • Abortos provocados;
  • Consulta ou atendimento ambulatorial para acompanhamento da gravidez, como o pré-natal;
  • Qualquer despesa com acompanhantes.

++ Clique aqui para ler maiores detalhes sobre o seguro viagem ideal para gestantes e como escolher o mais apropriado para a sua viagem ++

Dicas para uma viagem de avião com mais segurança

Uma viagem longa de avião é desgastante para qualquer pessoa, imagine então para uma mulher grávida.

O corpo que está em constante modificação, a dificuldade de encontrar uma posição confortável e a vontade constante de fazer xixi fazem a viagem de avião de uma grávida um pouco mais cansativa em relação às outras pessoas.

Seguem abaixo algumas dicas para quem vai fazer uma viagem de avião durante a gravidez:

  • Não tenha receio de utilizar as filas de atendimento preferencial, mesmo que a sua barriga ainda não esteja evidente. É um direito seu!
  • Opte por vestir roupas mais largas e confortáveis durante os voos;
  • Tire o sapato dentro do avião e calce alguma sapatilha, meia ou sandália confortável;
  • Utilize meias de compressão para facilitar a circulação do sangue (converse antes com o médico para saber qual a meia ideal para as suas medidas);
  • Movimente-se com frequência, tentado fazer uma caminhada dentro do avião a cada 2 horas;
  • Tente reservar um assento no corredor para facilitar a movimentação dentro da aeronave;
  • Tente sempre se manter hidratada, bebendo água sempre que possível (evite bebidas com gás);
  • Evite fazer refeições pesadas durante o voo;
  • Leve com você uma necessaire com um pote pequeno de álcool em gel, protetor labial, creme hidratante e lenços umedecidos;
  • Aperte o cinto de segurança sob o o abdômen, na região da bacia;
  • Se puder, evite viajar a partir da 37ª semana de gestação e nos 7 dias seguintes após o parto.

Minha experiência viajando grávida pela Europa

O roteiro da minha viagem pela Europa incluiu as seguintes cidades: Madri, Dublin, Edimburgo, Londres, Luxemburgo e Paris.

Foram 20 dias passeando pela Europa e, dentre esses locais, eu não conhecia Dublin, Edimburgo e Luxemburgo. Foi bom fazer uma mescla de cidades que já conhecia com outras novas, pois assim pude explorar bastante os novos destinos e dar uma acalmada nos locais já conhecidos.

Grávida pela Europa

Tour pela Europa exibindo o barrigão!

Roupas e calçados confortáveis: dicas de lojas na Europa

A viagem aconteceu nos meses de dezembro e janeiro, em pleno inverno, e foi maravilhoso curtir o friozinho da estação, ainda mais quando se está no 3º trimestre de gestação e as ondas de calor são frequentes.

Eu consegui aproveitar todas as minhas blusas de frio e tive apenas que comprar calças que acomodassem bem a barriga. Apesar da roupa ser essencial para que a sua viagem com o barrigão seja  agradável, mais importante ainda é utilizar o sapato mais confortável possível, mesmo que tenha que ser um número a mais do que você está habituada.

Caso precise comprar um calçado na Europa com valor em conta, sugiro ir até a Decathlon, uma loja especializada em artigos esportivos, mas que oferece uma boa opção de roupas para frio e sapatos de boa qualidade com preços acessíveis.

Outra dica legal para quem vai à Europa e não tem tantas opções de roupas de gestante é fazer compras na Primark. Essa grande loja de departamento tem um setor próprio para as gravidinhas e os valores das peças são super em conta! Eu aproveitei para comprar uma calça legging com espaço ajustável na barriga e gastei apenas €6,oo pela peça.

Sem dúvida que estar vestindo roupas e sapatos confortáveis foi essencial para a minha viagem, pois nós caminhamos bastante durante todos os dias e só utilizamos o transporte público quando tínhamos que nos deslocar para um local mais distante.

Alimentação equilibrada e hidratação

Outro cuidado que qualquer grávida tem que tomar é em relação à alimentação. Eu sou daquelas que costumo comer qualquer coisa em viagens, desde a comida típica local até as gordices das famosas redes de fast-foods, tudo para economizar. Dessa vez, foi tudo muito diferente.

Além de me alimentar com mais frequência, eu optei por sempre ter uma garrafinha de água mineral em mãos, para manter a hidratação, e visitei mais os mercados, onde comprava frutas, iogurtes e saladas, de preferência as que não continham alimentos crus.

Cuidados com a higiene e uso de banheiro na Europa

Por causa da necessidade de se hidratar, aliado ao frio e ao peso da barriga na bexiga, a frequência aos banheiros era muito maior. Por isso, eu sempre tinha um pequeno kit de higiene na bolsa, com álcool em gel, lenços umedecidos, e absorventes (protetor diário). É interessante também ter uma peça de roupa íntima na bolsa para caso de escape de urina (isso pode acontecer com qualquer gestante).

E essa frequência na quantidade de idas ao banheiro trouxe uma outra necessidade: a de ter sempre moedas para pagar pelo uso dos banheiros. Quem já teve a oportunidade de viajar para a Europa deve ter se deparado com a necessidade de se pagar para utilizar o banheiro.

Como a gestante tem a necessidade de urinar com mais constância que as outras pessoas, não é sempre que ela encontrará um banheiro gratuito à sua disposição.

Vale a pena fazer uma viagem internacional grávida?

Se a sua gravidez é de baixo risco e você mantém os exercícios físicos em dia, não precisa nem pensar duas vezes antes de programar uma viagem para a Europa com o seu barrigão.

Como a viagem à Europa costuma ser de muita andança, é essencial que você já tenha o costume de caminhar, pois não vale a pena deixar para fazer esforços que você não está habituada justamente durante a gestação.

No caso de uma grávida sedentária, talvez seja mais recomendável fazer uma viagem para um local de praia. Quem sabe algum lugar no Caribe onde possa relaxar nos resorts?

Lembrando que, antes de qualquer viagem internacional, é essencial que a gestante esteja se sentindo bem, se sinta segura em relação ao seu corpo e à evolução do bebê e que faça consultas regulares de pré-natal, conversando sempre com o médico quais os cuidados que devem ser tomados durante as viagens, além de contratar um bom seguro, afinal a viagem é para se divertir, não para trazer ainda mais preocupações.

Leia também: 

Roteiro de 2 dias em Edimburgo, capital da Escócia

Roteiro de 1 dia em Madri

O que ver em Luxemburgo em 1 ou 2 dias

Organize sua viagem com a gente:

 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades – utilize o cupom de desconto exclusivo para leitores do blog! Digite: PROJETO1015 ao final da contratação.

Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

Compre ingressos para passeios e atrações turísticas em diversos países – evite filas!

Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente

Ama animais, viagens e gastronomia, sempre tentando conciliar suas três paixões. Andou por quase 60 países e está sempre programando a próxima viagem. O destino? Depende das promoções de passagens aéreas!

6 Comentários

  1. Que delícia ler seu texto Gabi. Completo e super motivador! Viajar grávida é maravilhoso. Acompanhei sua aventura no velho continente tbm e adorei. As dicas aqui valem ouro!!

    • Obrigada pela mensagem, Lu!
      Embora toda mulher que esteja se preparando para ser mãe de primeira viagem tenha um certo receio em viajar grávida, a gente sabe que, tomando as devidas precauções, geralmente essas viagens se tornam inesquecíveis, né? Que outras mulheres sintam-se motivadas também 😉
      Beijos