Chipre: o que ver em Paphos

Muito mais que uma cidade portuária do Chipre, Paphos transpira história: um lugar que durante a antiguidade era centro de peregrinação dos adoradores deusa grega Afrodite; onde foram construídas vilas romanas no segundo século depois da era cristã; e de tumbas que foram esculpidas em pedras antes de Cristo. Associado a isso, encontramos uma cidade praiana, com temperaturas que chegam às alturas no verão, rodeada das águas cristalinas do Mar Mediterrâneo e aquele clima eterno de férias.

Se você procura praias bonitas, sítios históricos ou até mesmo um lugar pacato para descansar durante as férias, o Chipre é um excelente destino!

Visitamos ao todo 3 cidades no Chipre: Paphos, Lárnaca e Nicosia. Nesta última, tivemos a oportunidade de ver dois países diferentes, pois ela é a última cidade dividida no mundo e, por isso, foi tema de um post próprio.

Paphos foi a primeira cidade que visitamos no país, vindos da Grécia por uma empresa aérea low cost europeia, em um voo razoavelmente barato que durou pouco mais de 1 hora e meia. Diante de tanta facilidade em chegar ao Chipre, não poderíamos perder a oportunidade de explorar a ilha!

Vamos ver o que a cidade tem de interessante?

Começamos o passeio por um lugar chamado Tombs of the Kings (tumbas dos reis). Datadas do século IV a.C., elas são verdadeiras tumbas escavadas em pedras, onde eram enterradas pessoas ricas da aristocracia cipriota. Embora o nome seja tumbas dos “reis”, não há nenhum registro de rei enterrado ali.

Tumbas dos Reis Chipre

Escavações nas pedras

Paphos Tombs of the kings

As tumbas esculpidas na pedra

Mais tumbas nas pedras

Você andará por uma área vasta de terra batida, subindo e descendo de pedras dos mais variados tamanhos, entrará em algumas para ver as tumbas de perto e ainda terá uma vista linda para o Mar Mediterrâneo, onde tons de verdes e azuis se misturam formando uma paleta de cores de cair o queixo.

Contemplando as lindas cores do mediterrâneo!

Por causa da estrutura do sítio, recomendamos que vá de calçados confortáveis e roupas leves. Se possível, leve protetor solar e compre uma garrafinha de água para se hidratar, pois o sol é de rachar!

Pedras Tombs of the Kings

Tinha uma pedra no meio do caminho…

O local está aberto para visitação todos os dias nos seguintes horários:

16 de abril a 15 de setembro: 08:30 às 19:30

16 de setembro a 15 de abril: 08:30 às 17:00

Valor em 2016: €2,50

Para informações atualizadas, acesse o site oficial.

Outro ponto que visitamos na cidade foi Agia Solomoni Christian Catacomb, uma capela situada em um pequeno complexo subterrâneo de tumbas, que continham sepulturas do período helenístico (323 a.C. – 146 a.C.).

Sem muitas informações, vimos apenas uma placa que apontava para o local e nenhum turista por lá. Para vê-la de perto, é preciso descer as escadas e entrar na caverna escura, onde encontraremos algumas gravuras de santos pelas paredes.

Solomonis Catacomb Paphos

O interior da capela

Por ser um ambiente um pouco escondido, confesso que se estivesse sozinha talvez não tivesse coragem de descer pelos caminhos escuros no meio das pedras, principalmente por não ter visto movimentação por perto. Mas essa foi apenas a minha percepção, pois o Chipre é um país tranquilo e não passamos por nenhum momento em que nos sentíssemos inseguros. Assim como em todas as cidades do mundo, é sempre bom ter cautela.

Depois de visitar a pequena capela, fomos direto para o Paphos Archaeological Park (o sítio arqueológico de Paphos), que talvez seja o local mais visitado turisticamente.

Constante na lista de patrimônios da Unesco, o sítio, que ainda está sendo escavado, abriga uma série de ruínas romanas, sendo que as mais importantes são as quatro vilas: casa de Dionísio, Casa de Orfeu, Casa de Aion e Casa de Teseu, todos com os chãos de mosaicos preservados.

Mapa sitio arqueologico de Paphos

Mapa do sítio com as localizações de cada ponto importante

Vista que se tem do mirante que fica dentro do parque – essa é a casa de Teseu

O que mais impressiona é, sem dúvida, a preservação dos mosaicos. Como essas gravuras do século II, expostas às intempéries, permanecem bem preservadas até os dias atuais?

São imagens de figuras mitológicas e desenhos geométricos, feitos com uma riqueza de detalhes surpreendente e que contam histórias do que se acreditava naquela época, com todos os seus deuses e crenças.

Mosaicos do parque arqueologico de Paphos

A riqueza de detalhes dos mosaicos!

Além da arte feita em mosaicos, você encontrará ainda muitos vestígios das antigas construções, como colunas romanas, fortificações de um castelo bizantino, ruínas das casas que ali estavam e até mesmo um odeon antigo (anfiteatro).

É um passeio que pode durar bastante tempo a depender do seu interesse por história antiga, já que há placas com informações sobre cada um dos pontos principais. Assim, além de entender o que era cada ponto, você ainda verá um mapa de como aquele determinado espaço era na época em que foi construído.

Colunas Romanas de Paphos Chipre

As colunas romanas 

Ruinas do parque arqueologico de Paphos

Mais ruínas que sobreviveram ao tempo

As ruínas do forte medieval chamado Saranta Kolones

As ruínas do castelo bizantino, chamado Saranta Kolones

O anfiteatro antigo

O parque está aberto todos os dias, nos mesmos horários que as tumbas dos reis. Só o valor que é mais alto – €4,50 (valor em 2016).  Como também se trata de uma espaço aberto de chão batido, seguem as mesmas recomendações quanto às roupas leves e calçados confortáveis.

Acesse o site oficial para informações atualizadas de valores e horários.

Próximo ao parque, está a igreja Panagia Chrysopolitissa, construída no século XIII sobre as ruínas da maior basílica bizantina de toda a ilha. Foram construídas pontes ao seu redor para facilitar a locomoção de forma que possamos ver os diversos mosaicos espalhados pelo chão.

A igreja e os mosaicos no chão

Ela não é apenas um dos sítios mais antigos do Chipre, mas também um dos marcos cristãos mais importantes do mundo antigo. No local, encontramos os restos de Pilar de São Paulo, outro símbolo importante do antigo mundo cristão. Conta a história que São Paulo chegou à ilha para converter o governante romano ao cristianismo. Embora ele tenha sido bem sucedido em seus esforços, os opositores do cristianismo o amarraram e chicotearam até a morte. Desde então, o pilar tornou-se um marco importante para o cristianismo e por isso atrai peregrinos de todos os cantos do mundo.

Continuando o passeio, agora era hora de seguir pela orla, onde passamos pelo Medieval Castle of Paphos (castelo medieval), originariamente um forte bizantino que servia de proteção ao porto da cidade.

Destruído pelos venezianos e reconstruído durante a invasão otomana, o castelo foi utilizado não só para proteção da cidade, como também já abrigou um dia celas de prisão e até mesmo foi usado para armazenamento de sal, quando o país foi colônia britânica

Castelo Medieval de Paphos

Artista desenhando o castelo medieval

Considerado um dos grandes cartões postais da cidade, foi declarado monumento da antiguidade e hoje é um dos pontos turísticos muito visitados pelos turistas.

O horário de visitação é o mesmo das outras atrações e o valor da entrada (em 2016) é €2,50.

Na praça em frente ao castelo ocorrem eventos culturais, inclusive o festival de Afrodite, que acontece todos os anos no mês de setembro, quando uma ópera diferente é apresentada a cada ano. No mesmo local está o porto de Paphos, com diversos bares e restaurantes (um pouco mais caros que em outras partes da cidade)

Porto de Paphos Chipre

Barcos atracados no porto

Seguindo pela avenida Poseidonos (a primeira foto do post), você desfrutará de uma vista lindíssima da orla, que, por sinal, tem uma excelente estrutura para pedestres, com muitos centros comerciais por perto.

No final da avenida, chegaremos a uma praia chamada Alykes Beach, próxima aos hotéis e onde é permitido o banho. Embora a cidade esteja situada na costa do país, boa parte da área do mar é contornada por pedras, não acessíveis a banhistas.

Alykes Beach Paphos

O calçadão de Alykes Beach

A sensação é de que Paphos é uma cidade tipicamente de veraneio e muito procurada por famílias (principalmente russas), que fogem do frio para aproveitar o calor da ilha e se banhar nas águas “quentes” do mediterrâneo. Quer dizer: quente para eles, porque para nós que estamos acostumados com o mar do nordeste brasileiro, achamos a água do mediterrâneo um pouco fria (parecida com a temperatura do mar no Rio de Janeiro).

Sem dúvidas que Paphos é indicada para todas as pessoas, desde aquelas que viajam com bebês, até para pessoas mais idosas. É aquele lugar onde o dia demora de passar, com um clima pacato de balneário, muito diferente da correria  das grandes cidades.

A cidade consegue aliar o clima agradável, paisagens bonitas, ótima infra-estrutura urbana, facilidade de acesso, preços baixos, segurança e muita história!

Achou interessante esse passeio? Então veja um pouco mais de Paphos agora em vídeo:

Organize sua viagem com a gente:

🏢 Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

🏥 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades.

📱Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

🚘 Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

💵 Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente 😉

24 Comentários

  1. Oi Gabi! Taí um destino interessante e que sei muito pouco.. Aprendi um pouco agora com seu texto e essas fotos lindas!! Espero poder ir em breve. Um beijo

  2. Waowwww… Que Lindo. Eu nao gosto muito de destinos litorâneos, mas esse post está mudando o meu conceito. Muito lindo mesmo. As fotos arrasaram. Beijos

  3. Que lugar cheio de cultura! E estes mosaicos? Lindo demais!!!!

  4. Adorei a ideia de ir para Chipre quando você diz que é um lugar com cara de eternas férias. me convenceu! que lugar lindo, uau uau e mais uau!

  5. Esses posts de vocês me fazem querer conhecer tuuuuuudo! Chipre agora tá na lista haha

  6. Desde que soube que existe uma cidade que se chama Polis, o Chipre está sempre na minha lista! Ahaha Adorei o post, quanta coisa interessante tem pra se fazer lá, né? Preciso ir logo!

    beijo

  7. Até ler os posts de vocês sobre o Chipre, confesso que não considerava viajar pra lá tão cedo! Mas adoro lugares históricos assim e já subiu várias posições na minha listinha! rs

  8. Uau! Que demais! Amei o lugar.

  9. Amei o post. Estava procurando informações sobre Paphos pois estamos indo para lá no próximo mês e tive a grata surpresa de conhecer o blog de vocês. Até o momento foi o blog mais completo que encontrei sobre a cidade. Parabéns. Este ano também comecei a registrar as aventuras no blog patipelomundo.travellerspoint.com

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »