Dicas práticas sobre o Suriname

Suriname é um país tão exótico, que até mesmo alguns sul americanos desconhecem a sua existência, embora esteja situado na América do Sul (o menor país de todos do sul do nosso continente). Chegamos à conclusão de seu desconhecimento generalizado pouco tempo antes de fazermos a viagem a esse novo destino, quando nós dois vivenciamos situações engraçadas ao ligarmos para as operadoras dos nossos cartões de crédito para pedir o seguro viagem e fazer o desbloqueio para compras internacionais.

Primeiro Fabrício, que telefonou para o serviço de concierge do cartão para solicitar o seguro viagem. O atendente perguntou qual era o destino da viagem e, ao dizer “Suriname”, logo lhe foi perguntando em qual país ficava o tal do Suriname. Fabrício apenas disse: fica aqui na América do Sul! Rapidamente informaram o número do seguro e tudo foi resolvido.

Aí chegou a minha vez de ligar para a operadora do cartão para desbloqueá-lo para compras internacionais. Foi uma conversa longa e de novas descobertas, por isso vou tentar relatar o teor do bate-papo:

Atendente: A senhora vai viajar para qual país?

Gabi: Suriname.

Atendente: Por favor, poderia repetir o nome do país?

Gabi: Suriname.

Atendente: Um momento senhora.

(demorou talvez um minuto e confirmou o nome do país mais uma vez)

Atendente: Senhora, estamos procurando esse país no mapa. Não é um destino que trabalhamos normalmente aqui no sistema. Só um minuto.

Gabi: Ok.

Atendente: Mais um minuto, pois estamos procurando o país no sistema.

Gabi: Ele fica na América do Sul, entre as Guianas.

(demorou mais alguns poucos minutos…)

Atendente: Senhora, encontramos no sistema! Seu cartão está desbloqueado para fazer compras no Suriname, um país da América do Sul!

O atendimento da moça foi ótimo, mas confesso que estava achando aquilo muito curioso. Até me senti uma professora de geografia trazendo uma novidade para os alunos! De qualquer forma, fiquei feliz em passar uma nova informação para alguém.

Sempre soube que o Suriname existia, porém, há pouco tempo, me dei conta que há MUITAS pessoas que nunca nem ouviram falar desse país. Se esse é o seu caso, não se preocupe, pois essa é uma ótima oportunidade de aprender um pouquinho sobre a nação mais singular de toda a América do Sul!

# Onde fica o Suriname?

O pequeno país está localizado na parte norte da América do Sul, fazendo fronteira com o Brasil (ao sul), com a Guiana (a oeste), com a Guiana Francesa, que é um território ultramarino Francês (a leste) e com o Oceano Atlântico (ao norte).

Veja sua exata localização no mapa abaixo ⬇️

Mapa Suriname

Observe a seta apontado para o Suriname

Para se ter uma ideia de sua proximidade com o Brasil, os voos de Belém do Pará até Paramaribo, capital do Suriname, duram pouco menos de 1 hora e 30 minutos.

*Dica para que tem 4 ou 5 dias disponíveis: dá para conhecer Belém (capital do Pará) e Paramaribo na mesma viagem. Pode separar 2 dias para cada cidade, pois esse período é suficiente.

# Curiosidade

A GOL tem voos diários de Belém a Paramaribo e o mais interessante é que as ofertas de milhas são imperdíveis! Digo isso porque estávamos planejando uma viagem para o feriadão da Semana Santa e o melhor custo benefício pra gente foi viajar para o Suriname (estava mais em conta do que viajar dentro do país).

As passagens saíam por 4.000 milhas cada trecho, totalizando 8.000 ida e volta partindo de Belém. Entretanto, caso fôssemos emitir bilhetes usando milhas e dinheiro (milhas & money), usaríamos apenas 1.000 milhas + R$ 66,00 por trecho. Como se não bastasse, caso optássemos pelas milhas e dinheiro, receberíamos 500 milhas de volta, ou seja, no final gastamos 500 milhas + R$ 66,00, por trecho, cada um.

Claro que esse não foi o valor final, pois tivemos que incluir as taxas de embarque internacional de cada aeroporto, que são mais altas que as taxas nacionais.  No final, cada um pagou R$472,41 + 1000 milhas pelas passagens de ida e volta.

*Dica: brasileiros só entram no Suriname com passaporte com validade de no mínimo 6 meses. Recomendamos que tenha em mãos as passagens de volta, pois o oficial da imigração pediu as nossas passagens de retorno ao Brasil e tivemos que procurar o bilhete eletrônico no celular.

Durante o voo, os comissários entregaram o formulário de entrada no país, que está escrito em inglês e holandês. O curioso foi que esse foi o único voo da minha vida que vi a comissária ter que ir até o microfone para ajudar os passageiros a preencherem o formulário, pois a galera estava se batendo com aquela folha de papel. Isso já demonstrava que a maioria dos passageiros era composta de pessoas que não costumam viajar a turismo.

Formulario imigracao Suriname

Formulário da imigração no Suriname

Desde a fila do check in percebemos que apenas nós dois aparentávamos ser turistas. Para quem não sabe há muitos brasileiros vivendo no país e são pessoas que trabalham com garimpo, muitos que vão em busca de uma vida melhor.

# História

O Suriname foi o único país da América do Sul colonizado pela Holanda, que deixou traços marcantes na sua cultura e arquitetura. Vimos casas no estilo holandês no centro da cidade, mas também sentimos a presença do mesmo estilo de casas que vimos na Indonésia.

Enquanto ainda era colônia holandesa, foi abolida a escravidão, mais precisamente em 1863. Por isso, foi necessário levar trabalhadores de baixo custo para a colônia, quando optaram pela mão de obra do norte da Índia e da Indonésia, que na época era também colônia holandesa. Somente em 1975 que o Suriname se tornou um país independente.

O idioma oficial é o holandês, mas a miscigenação cultural é tão grande, que muitos habitantes falam criolo, javanês, hidustano e inglês. Ficamos impressionados como todo mundo sabia falar inglês, desde o segurança dos correios, vendedores de lojas, garçons a pessoas com quem precisamos pedir informações na rua.

# Religião

O país é tão pacífico que vários povos de diversas religiões convivem harmonicamente. Há hindus, muçulmanos, católicos, protestantes, judeus, dentre outros. Só para se ter uma ideia, em Paramaribo há uma mesquita do lado de uma Sinagoga! Já viram isso em algum outro lugar do mundo?

Sinagoga e mesquita lado a lado!

Sinagoga e mesquita lado a lado!

No nosso primeiro dia no país, já participamos de um festival hindu chamado Holi, que será tema de outra postagem futuramente de tão interessante que foi. Esse dia era feriado nacional e já percebemos como havia uma grande parte da população vinda da Índia.

Para completar, dois dias depois era feriado novamente, dessa vez por causa da Páscoa, uma celebração cristã. Só com esses dois exemplos já dá para visualizar a mistura, né?

# Clima e vegetação

A vegetação do país é 100% Floresta Amazônica, tendo uma costa repleta de mangues. Mais de 90% do país é mata virgem, ou seja, apenas uma pequena parte é povoada.

Por estar situado na Amazônia, o clima é tropical úmido, em outras palavras: MUITO quente!

Recomendamos que levem roupas leves e frescas, além de óculos escuros, chapéus/bonés, protetor solar e repelente. Não é permitido entrar em nenhum templo religioso, inclusive na igreja, de short, saia curta, bermuda ou camisa sem manga.

# Moeda

A moeda do país é o dólar do Suriname (SRD) e, durante a nossa visita em março de 2016, a cotação variava de 5 a 6 dólares surinameses para cada um dólar americano, o que foi ótimo pra gente, já que estava mais desvalorizada que o real.

Fizemos o câmbio em um cassino que ficava do lado do nosso hotel e tivemos contato com as notas de 5, 10, 20 e 50, além de algumas moedas. A moeda que mais nos chamou a atenção foi a de 1 dólar do Suriname, pois nela está gravado o número 100.

Com exceção dos passeios pela floresta (jungle tours), que são tabelados com valores em euros, o turismo na cidade é barato e não gastamos muito com atrações turísticas e alimentação. Acredito que, no geral, os restaurantes têm valores baixos se comparados aos das grandes capitais brasileiras.

# Outras informações
Culinária 

A culinária do país tem influência dos diversos povos que foram pra lá. Queríamos muito experimentar uma comida típica, mas não vimos nenhum restaurante local, apenas de culinária internacional.

Conversando com uma brasileira que mora há 9 anos em Paramaribo, ela nos disse que é complicado definir o que é a comida típica do Suriname e que nem ela sabe dizer qual seria.

Segurança

O país é muito seguro! Dizemos isso não só porque realmente sentimos essa segurança, mas também porque conversamos com algumas pessoas que moram em Paramaribo e que disseram que o país é muito tranquilo e que não precisaríamos nos preocupar, pois é muito raro ouvir falar em assaltos ou crimes bárbaros.

Trânsito

Todo o trânsito é mão inglesa, apesar de termos visto alguns carros com o volante do lado esquerdo. Não é o trânsito mais civilizado do mundo, mas sentimos muita cordialidade com os pedestres, pois algumas vezes paravam para a gente atravessar a rua, até mesmo fora da faixa de pedestre.

Ouvimos dizer que há muitos acidentes fatais por excesso de velocidade e que essa é uma preocupação dos residentes do país.

Distâncias

Há muitas atrações turísticas distantes de Paramaribo, principalmente as que envolvem ecoturismo. Como o transporte público é deficiente, é necessário alugar carro ou contratar um motorista ou taxista para levar a determinados lugares.

Não chegamos a fazer nenhum passeio fora da cidade e usamos veículos apenas nos trajetos aeroporto-hotel-aeroporto, pois o aeroporto fica muito longe do centro da cidade (mais de 50km) e o hotel oferecia esse serviço gratuitamente. Para quem vai chegar à cidade e não vai ficar hospedado em hotel com esse serviço, soubemos que há ônibus que fazem esse trajeto cobrando na faixa de 10 dólares americanos o trecho. De táxi sai muito mais caro.

Tomadas

Antes da viagem, pesquisamos na internet como eram as tomadas no Suriname. Vimos que existiam dois tipos, todos compatíveis com os plugs mais antigos de dois pontos redondos paralelos. Para a nossa surpresa, havia apenas uma tomada no nosso quarto do hotel que era compatível com os nossos eletrônicos. Todas as outras eram daqueles modelos americanos, de dois pinos retangulares.

A nossa sorte é que sempre viajamos com um T, com espaço para dois carregadores e por isso conseguimos carregar todos os eletrônicos usando o T e as saídas USB do laptop.

No dia da volta para o Brasil, o motorista do transfer nos pegou tão cedo no hotel, que passamos mais de 3 horas “mofando” no aeroporto. Encontramos tomadas, mas todas eram daquele modelo incompatível com os nossos carregadores. Tivemos que esperar mais de uma hora até conseguir uma tomada de USB, já que era a mais procurada pelos turistas.

Levem adaptadores de tomada!

Levem adaptadores de tomadas!

*Dica: se vai ao Suriname, leve adaptador de tomada (aquele compatível com tomadas de dois pinos retangulares), pois é grande o risco de não conseguir tomadas compatíveis.

# Resumo

Capital: Paramaribo

População do país: pouco mais de 500.000 habitantes

Fuso horário: o mesmo de Brasília

Voltagem: 110V

Código de discagem: +597

Moeda: SRD

Idioma oficial: holandês

Espero que essas dicas sejam úteis para os turistas que pretendem visitar esse país tão exótico! 

Organize sua viagem com a gente:

🏢 Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

🏥 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades.

📱Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

🚘 Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

💵 Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente 😉

20 Comentários

  1. Orlando Gama

    Já estou com as dicas anotadas para minha viagem.

  2. Débora Leal Serra Teixeira

    Oi, adorei a matéria
    Estou indo.para o Suriname
    Gostaria de saber como.foi a chegada
    Vcs pegaram taxi,? Qual o valor?

    • Olá, Débora! Tudo bem?
      Assim que chegamos a Paramaribo nós pegamos um transfer gratuito para o hotel. Sei que há hotéis que cobram mais ou menos U$10 por trecho e táxi custa mais que isso.
      Abraços 😉

  3. Joao

    Sou admirador do seu blog. Ja li sobre Brunei, Azerbaijao e, agora, Suriname. Só uma pergunta. vocês foram à Guiana Francesa, e difícil o visto ? E pra Suriname ou as outras Guianas, há vôos saindo de São Paulo, pois São Paulo Belém é uma distância considerável e, se for pra comprar em passagens separadas, compensa conhecer Belém.

    • Olá, Joao! Tudo bem?
      Muito obrigada pela mensagem 😉
      Na viagem ao Suriname fomos apenas a Paramaribo e deixamos as Guianas para uma outra oportunidade. Acho que o visto para a Guiana Francesa é um pouco chato, mas não sei bem como é o procedimento. Eu não sei se há rotas direto de SP, mas você pode tirar a passagem saindo de lá, mesmo que não seja direto, terá pelo menos a conexão em Belém.
      Abraços

  4. maria lucia

    Gabi:
    Seus post são excelentes e a dica para viajar barato para o Suriname foi sensacional.
    Perguntas:
    1. Em qual hotel vocês ficaram em Paramaribo?
    2. Quais as dicas de melhores passeios em Paramaribo em 2 dias?
    2. Consigo sair de forma barata do Suriname para a capital da Guiana e para a capital da Guiana Francesa?

    • Olá!
      Vamos lá:
      1 – Ficamos no Queens Hotel, um hotel simples e com uma ótima localização (vamos fazer um post sobre ele);
      2 – Ficamos apenas em Paramaribo e o próximo post será sobre o turismo na cidade. Há vários passeios, principalmente de ecoturismo, mas não fizemos nenhum, pois achamos caros (tudo em euro);
      3 – Sei que tem como ir do Suriname para a Guiana Francesa, só não sei valores e qual a logística. Mas para ir pra lá precisa de visto, que tem que ser tirado antecipadamente. Posso pesquisar pra você como é esse trajeto, pois temos um amigo que fez essa viagem.
      Já tem uma data para a viagem?
      Muito obrigada pela mensagem 😉

  5. Marcus

    Você trocou dinheiro antes da viagem ou antes de ir pro hotel? Tem casa de câmbio no aeroporto?

  6. CAROLL MONIZ

    Pensei que Suriname tivesse belíssimas praias e uma culinária mais característica com a dos seus colonizadores. Interessante essas dicas de grande informação para quem tem curiosidade e quer fazer esse destino. Fiquei impressionada com o custo beneficio muito barato. Estou no aguardo de outros post!!!!!

    • Muita gente acha o mesmo sobre as praias, afinal, está relativamente perto do Caribe. Gostaria de ter experimentado algo do Suriname, mas infelizmente não encontrei (pelo menos conseguimos provar os peixes da região, que são muito bons!).
      Realmente sai muito em conta fazer uma viagem pra lá e muita gente nem imagina, né?
      Os próximos posts sairão em breve 😉

  7. Muito boas, as informações!

    Em relação à sinagoga e mesquita lado a lado, em Goa também vi igrejas e templos hindus mesmo ao lado um do outro. A tolerância é sempre algo bonito de se ver 🙂

  8. Arcanjo

    Olá Gabriela, tudo bem?

    Estou planejando ir ao Suriname (e de lá também para a Guiana) em setembro e, além de Paramaribo, gostaria de visitar o Parque Natural Brownsberg. Vocês por acaso se depararam por lá com o preço desse passeio?

    • Olá! Tudo ótimo!
      Tenho um folheto aqui comigo sobre os passeios. Pela empresa All Suriname Tours, os valores atuais para os passeios para Brownsberg são os seguintes:
      1 dia: 60 euros
      2 dias: 140 euros
      5 dias (incluindo Ston Island & Jaw Jaw): 395 euros
      Abraços!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »