Singapura: dicas de turismo

Sabe aquele lugar quase perfeito? Essa foi a sensação que tivemos assim que começamos a andar por Singapura. Transporte público padrão primeiríssimo mundo, ruas limpas e tudo lindo ao nosso redor. Por outro lado, precisamos dizer que a cidade-estado não é tão rígida quanto imaginávamos.

Já ouviu aquela história de que em Singapura paga-se multa se jogar lixo no chão ou atravessar fora da faixa de pedestres? Também não é BEM assim! Vimos ciclistas circulando em local proibido para bikes e pessoas atravessando fora da faixa normalmente, ou seja, por mais que a rigidez exista, com punições frequentes, por óbvio que há infrações!

Só que Singapura é completamente diferente dos outros países por onde havíamos passado no sudeste asiático: além de um exemplo de urbanização e beleza, tudo funciona perfeitamente bem, além das opções gastronômicas serem as melhores que encontramos em toda a viagem!

# Alguns detalhes sobre Singapura

– Inglês é uma das línguas oficiais do país;

–  De acordo com o acordo ortográfico de 1990, a palavra correta é Singapura (com a inicial S) e não com C, como era antigamente. Fiquei muito na dúvida de como escrever e acabei adotando o C inicialmente, mas depois troquei pelo S (por isso que algumas postagens ainda são com C);

– A moeda do país é o Dólar de Singapura;

– Singapura é uma cidade-estado que fica ao sul da Malásia;

– O país é MUITO rico! A cidade é pura ostentação, o custo de vida é alto, tudo é caro (principalmente para os mortais que recebem em real), mas nada disso diminui o interesse pelo lugar, afinal, não precisa ser rico para aproveitar Singapura! Digo isso porque a cidade em si é muito simpática e andar pelas suas ruas é um passeio muito agradável.

O país pode ser pequeno (apenas uma cidade), mas atrações não faltam! Como já disse, a cidade é de primeiro mundo, bem diferente dos vizinhos asiáticos, a começar pela riqueza e organização, que faz você até esquecer que está no sudeste asiático. Não quero dizer que Singapura é perfeita (quase!). Andamos na rua e vimos pessoas de todas as partes do mundo, falando diversos idiomas e por isso sentimos uma falta de identidade cultural.

A cidade é SUPER segura! Dá para andar bastante e usar e abusar do transporte público sem medo. Ah, falando em transporte público, não precisa comprar um tíquete cada vez que for usar o metrô, basta recarregá-lo nas máquinas.

Chegamos a Singapura no Aeroporto Internacional (Changi) e fomos de metrô até o bairro onde ficamos hospedados, Clarke Quay (bairro recomendadíssimo!!).

# O que ver em Singapura

Na verdade, vou contar aqui o que vimos em 2 dos 3 dias que passamos na cidade: chegamos em um dia de tarde e já saímos para passear; passamos o segundo dia na Universal Studios e Ilha de Sentosa (assunto para uma próxima postagem) e no terceiro dia tivemos a companhia de Manuela, amiga da época da faculdade que morou alguns anos na cidade e nos mostrou lugares bastante interessantes!

#Dia 1

Clarke Quay, o bairro do nosso hotel que foi o ponto de partida para explorar a cidade. É um local muito badalado e tem uma atmosfera muito gostosa à beira do rio. De dia, é um local tranquilo, mas à noite a festa não tem hora para acabar! São bares e restaurantes para todos os lados com as mais variadas opções gastronômicas.

Sem pressa, seguimos andando pela margem do rio e pudemos observar a intensa vida noturna do lugar. Era muita gente na frente dos bares conversando e se divertindo, parecendo que era época de algum evento diferente na cidade. Mas não, nos outros dias continuava da mesma forma e chegamos à conclusão que Singapura é assim mesmo: cheia de vida!

Continuamos andando até chegarmos a Boat Quay, local que nos chamou a atenção por causa das estátuas de bronze no tamanho real. Não preciso nem dizer que a gente já gosta de ver estátuas pelas ruas (veja aqui outras viagens onde paramos para tirar fotos com estátuas: Porto e Bratislava).

Em frente às estátuas dos homens conversando, há uma ponte chamada Cavenagh Bridge, que é a ponte suspensa mais antiga de Singapura, inaugurada em 1870 para comemorar a colonização britânica do país. Dá para ver um pedacinho dela na foto das estátuas dos meninos se jogando no rio. A ponte é somente para pedestres e ciclistas.

No mesmo local há o Fullerton Hotel, um prédio histórico onde funciona um hotel cinco estrelas super luxuoso e de uma arquitetura linda!

Continuamos andando até chegarmos ao lugar que é o símbolo de Singapura: Merlion Park, de onde tivemos a vista do famoso hotel Marina Bay Sands e do Singapore Flyer (a roda gigante que já foi a maior do mundo). A vista é maravilhosa!!!

A estátua do Merlion e os edifícios modernos de Singapura

Vista fantástica!

O Merlion Park é um local extremamente agradável, com wifi gratuito e disponível para os turistas, banheiro público e opções gastronômicas.

Merlion é a estátua que tem a cabeça de um leão (representando o nome original da palavra “Singapura”, que significa a “cidade do leão”) em um corpo de um peixe (que representa o a vila de pescadores, que era o país antigamente). A estátua é o símbolo de Singapura.

Como queríamos chegar mais perto do Marina Bay Sands, continuamos caminhando pelas margens do rio até chegarmos ao complexo onde fica o hotel, com o cassino e o shopping. Para a nossa surpresa, começamos a ver uma movimentação pelo local e descobrimos que naquele momento estava começando o show de luzes e água bem ali!

Veja aqui o vídeo que fizemos:

Essa apresentação pode ser vista tanto do Merlion Park, onde vimos as luzes que saíam do Marina Bay Sands, quanto do próprio lado onde fica o hotel, onde vemos o show de água e luzes de perto. Do lado do hotel é muito mais interessante!

Passamos no Merlion Park no último dia e assistimos ao show de luzes em frente ao Marina Bay Sands

Depois da apresentação, entramos no shopping e fomos em direção ao Gardens by the Bay, um parque com três jardins bastante exóticos e atrativos. A iluminação durante a noite é muito interessante! Há várias árvores gigantes, chamadas de Supertree Grove, que são estruturas de aço cobertas de plantas.

Supertree Grove

É tranquilo para andar durante a noite, com a presença constante de turistas. Por falta de tempo, não conseguimos visitar os jardins durante o dia, mas vimos ele do alto do Marina Bay Sands.

Para saber horários e valores acesse aqui o site da atração (todas as informações estão em inglês).

#Dia 2

Resolvemos visitar a ilha de Sentosa e aproveitamos, de última hora, para nos distrairmos no parque do Universal Studios, passeio que durou o dia todo.

Dia lindo na ilha de Sentosa!

Dia lindo na ilha de Sentosa!

#Dia 3

Na companhia de minha amiga Manu, fomos andar por Chinatown, local que ela comentou que a Chinatown de Cinpagura foi o bairro chinês mais organizado e limpo que ela já viu. E é verdade! Tudo anda em ordem por lá. Aproveitamos para comprar lembranças e experimentar um suco de frutas (opções não faltam!).

Passamos primeiro no Buddha Tooth Relic Temple and Museum, um templo budista chinês muito bonito! Como estávamos de roupas acima do joelho, vestimos uma espécie de saia, que o local disponibiliza gratuitamente.

Buddha Tooth Relic Temple

Bem próximo ao templo budista, visitamos o Sri Mariamman Temple, o mais antigo templo hindu de Singapura. Novamente, vestimos uma espécie de saia longa em respeito ao local religioso, tiramos os sapatos e pagamos uma pequena taxa para poder fotografar. O templo é tão colorido e cheio de vida que é impossível não querer fotografar!

Detalhes do Sri Mariamman temple acima e, na parte de baixo, religiosos, eu e Manu

Seguimos de metrô até o Arab Quarter, onde saltamos na estação Bugis e vimos uma paisagem totalmente diferente dos outros bairros e que nos fez refletir sobre a mistura de povos que vivem em Singapura. Como tudo por lá, o bairro é limpo, bonito e organizado. Muito bom para caminhar e para comprar lembrancinhas!

Sultan Mosque ao fundo

Fomos conhecer a vista do alto do Marina Bay Sands. Para quem não sabe, somente hóspedes podem tomar banho na piscina de borda infinita. Então subimos até o bar que fica no alto (não pagamos nada para subir) tomamos algo, batemos papo e aproveitamos para ver Singapura do alto.

No sentido horário: a piscina de borda infinita, o Gardens by the Bay e outras partes da cidade

Conhecemos ainda o famoso Orchard Road, o centro de compras de Singapura, com muitas lojas de marcas de luxo. O local é bastante movimentado, bonito e quem gosta de compras vai amar, nem que seja para ficar só olhando!

Terminamos o terceiro e último dia na animada noite do Clarke Quay (aquele bairro onde ficamos hospedados). Aproveitamos para jantar, em um restaurante italiano gostoso e barato (para padrões singapurianos) que conhecemos na primeira noite. Era tão bom que tivemos que voltar.

Singapura era uma cidade que nunca fez parte da minha lista de lugares favoritos a conhecer. Claro que queremos conhecer tudo o que pudemos, sem preconceitos, mas sabe quando você não pensa muito sobre um lugar? Acho que essa falta de expectativa acabou ajudando e nos surpreendendo muito. Singapura, com certeza, é aquele lugar que um dia sonhamos em voltar!

Vai conhecer Singapura?

Organize sua viagem com a gente:

🏢 Reserve seu hotel agora através do nosso link de afiliado do Booking.com. Algumas reservas podem ser canceláveis – verifique as regras antes de efetuar a sua. Você não paga nada a mais e ainda ajuda o Projeto 101 Países!

🏥 Imprevistos podem acontecer e nada melhor do que ter uma boa assistência médica no exterior caso seja necessário. Faça a contratação com a gente e escolha o melhor seguro para as suas necessidades.

📱Saia do Brasil com um chip internacional que tem cobertura em até 140 países! Você recebe o seu chip da Easysim4u em casa e viaja conectado.

🚘 Alugue um carro pagando em reais e sem a incidência de IOF. Faça uma comparação dos valores de aluguel de carro pelo mundo com a Rentcars e escolha a melhor opção para você.

💵 Faça uma cotação de moeda estrangeira, encontre as melhores taxas de câmbio e compre euro, dólar, libra e outras moedas estrangeiras aqui.

Cada vez que você contrata algum desses serviços por aqui, você está ajudando a manter o nosso blog. Gostou das informações encontradas aqui e elas estão lhe ajudando a programar a sua viagem? Que tal dar uma ajudinha?

Não vai viajar agora, mas gostou do que encontrou aqui? Faça um comentário aqui no post e deixe um blogueiro feliz! A sua opinião é muito importante pra gente 😉

19 Comentários

  1. Sempre tive vontade de conhecer Singapura. Depois de ler seu post voltei a suspirar por ela novamente.
    Agora acompanhando o seu blog ando pensando mais e mais na ásia. Obrigada.

  2. Nunca fui muito chegada em Ásia e só bem recentemente estou considerando viajar pra lá – mas sei que ainda não estou preparada psicologicamente pra muita coisa hahaha Cingapura sempre me pareceu um dos melhores lugares pra eu ir pra ter uma impressão menos traumática!!! hehehe Adoro esses prédios modernos e as luzes!

  3. Uau! Perfeito. Metade das informações relatadas neste post eu ainda desconhecia.
    E esse é um dos motivos do Projeto 101 Países ser um dos blogs que mais gosto de ler.
    Não tenho ainda pretensão de conhecer a Ásia, mas a riqueza de detalhes desse post, me despertaram uma leve vontade, sabe? rsrsrs

  4. Delicia de roteiro. Meu desejo pela Asia só faz crescer. BjO!

  5. Todos mundo diz que a Asia vicia, né! Eu estou viciada só de ler, preciso executar! Parabéns pelo post! Cingapura está muito além do que vemos por aqui. Sonho com essas árvores gigantes!

  6. Ai, que delícia de post. Somos loucos para ir para lá. Aliás, esse show de luzes deve ser demais. Diferente, né?

    • Olá, Rachel! Cingapura é um espetáculo!!
      Esse show de luzes e águas é lindinho e bem melhor que o famoso show de luzes de Hong Kong (que foi um pouco decepcionante).
      Vale a pena investir um pouco e conhecer Cinga. O país é bem diferente dos vizinhos 😉
      Beijos

Trackbacks for this post

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados * *

Translate »